Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Suspeito de matar e queimar mulher em Boa Esperança do Sul é preso

Corpo da vítima foi encontrado às margens da SP- 255, na última sexta-feira (21)

| ACidadeON/Araraquara


Suspeito de matar e queimar mulher em Boa Esperança do Sul é preso
Um homem de 38 anos foi preso nesta terça-feira (25), suspeito de matar Marciele Aparecida Mendes, de 31 anos, encontrada carbonizada às margens da rodovia SP-255 na última sexta-feira (21). O suspeito, que estava em liberdade há apenas três meses, nega qualquer envolvimento com o crime. 

De acordo com informações da Polícia Civil de Boa Esperança, testemunhas afirmaram que, no dia em que Marciele desapareceu, o suspeito teria feito ameaças de morte e seguido para a casa dela. Diante disso e de outros indícios, o homem acabou sendo preso preventivamente pela Polícia Civil e encaminhado a cadeia de Santa Ernestina.  

O acusado do crime se defende e afirma que não teria motivos para matar Marciele. "Ela é amiga da minha namorada, estivemos com ela no dia que desapareceu, mas ela foi para um lado e nós dois para outro. Eu não matei ela e nem tinha motivos para isso. Eu tenho problema psiquiátrico, mas não matei ninguém ", afirma o suspeito. 

Durante a prisão, o homem teria ainda desferido dois socos contra o vidro da viatura e se machucado, precisando passar pelo hospital de Boa Esperança do Sul, onde foi medicado.  

Caso foi registrado nesta sexta-feira (21) em Boa Esperança do Sul. (Foto: Direto do Zap/ACidade ON)
Entenda o crime
O corpo foi encontrado no fim da tarde de sexta-feira (21). Marciele estaria desaparecida há dois dias. 

Segundo o relatório policial, um homem passava pela Rua Marcelino da Silva Braga quando viu um corpo carbonizado, no acostamento da pista. Ele acionou a Polícia Militar, que foi até o local e confirmou a denúncia.  

Com a chegada dos peritos foi possível verificar que a vítima apresentava sinais de violência. A mulher estaria parcialmente queimada e em avançado estado de putrefação, porém sua identificação foi possível por meio de tatuagens que não foram atingidas pelo fogo.  

Ainda segundo o relatório policial, a identidade da vítima ainda precisa ser confirmada por meio de exames do Instituto Médico Legal (IML). O caso foi registrado como homicídio simples, no Plantão Policial de Araraquara.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON