Aguarde...

cotidiano

Pedreiro é preso por maus-tratos ao abandonar cão em vicinal

Caso foi registrado, nesta quinta-feira (3), no Plantão Policial de Araraquara

| ACidadeON/Araraquara

Caso de maus-tratos foi registrado no Plantão Policial de Araraquara (Foto: Walter Strozzi/ACidade ON)


Um pedreiro, de 46 anos, foi preso acusado de maus-tratos por abandonar um cão, nesta quinta-feira (3), na vicinal que liga Araraquara ao Distrito de Bueno de Andrada.

O caso foi flagrado pela Polícia Militar, acompanhado por fiscais da coordenadoria de Bem Estar Animal da Prefeitura e pelo presidente do Conselho Municipal de Proteção Animal.

Ao ACidade ON, o cabo PM Vargas afirma que viu o caminhão estacionar, depois passar pela vicinal sentido Matão e o cachorro correndo atrás. Diante da cena, decidiu abordar o veículo.

"Quando o passageiro desceu, o cachorro pulou no colo dele. Questionado sobre a propriedade do animal disse que abandonou, pois em sua nova residência não caberia", relata.

Durante registro da ocorrência, o presidente conselho municipal, Luiz Antônio de Abreu Júnior relata que uma das principais dificuldades enfrentadas é a conscientização e denúncias.

"Nossa principal dificuldade é as pessoas denunciarem. Criar coragem e denunciar o abandono, maus-tratos, pois só assim o Conselho, Polícia Civil e Militar podem atuar e levar aquele que cometeu o ato à Justiça para responder criminalmente", defende.

Já o delegado de plantão, Edmar Benedito Piccolo Júnior, ressalta que diante do flagrante e de alterações na legislação, o acusado foi recolhido à cadeia de Santa Ernestina.

"Diante da mudança que ocorreu no ano passado na lei, o crime de maus-tratos, incluindo abandono de animais, possui pena de reclusão de dois a cinco anos. Ele foi autuado em flagrante ficando à disposição da Justiça", finaliza. 

O animal, assim como outro cão sob tutela do acusado, foram acolhidos e serão encaminhados para adoção responsável. A coordenadoria de Bem Estar Animal também aplicará multas cabíveis e o caso será acompanhado pela Comissão de Proteção e Defesa Animal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).



Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON