Publicidade

cotidiano

Revolta marca prisão de suspeito de matar mulher em Araraquara

Karunã foi morta no último domingo (22) e seu ex-namorado é o principal suspeito do crime

| ACidadeON/Araraquara -

Familiares tentaram invadir delegacia após prisão de acusado de homicídio em Araraquara (Foto: Amanda Rocha/acidade on)
 

 

Após a prisão do principal suspeito de matar e atear fogo em Karunã Ferreira Coimbra Manduca, nesta terça-feira (24), amigos e familiares se concentraram em frente à Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Araraquara e tentaram invadir o local.  

 

LEIA TAMBÉM 

Comoção em Araraquara: polícia prende acusado de matar jovem 

Amigos lamentam e se despendem de Karunã, morta aos 30 anos 

Karunã: para delegado, ex premeditou morte da jovem em Araraquara


Segundo informações preliminares, o acusado, ex-namorado da mulher, foi preso após sair de um motel e tentar roubar uma motociclista. A Polícia Militar (PM) acabou acionada e localizou o rapaz em uma chácara próximo ao bairro Quitandinha. 


Na chegada das viaturas, familiares da vítima se revoltaram e tentaram entrar na delegacia. O clima ficou tenso e a Polícia Civil e Militar, além da Guarda Civil Municipal (GCM) reforçaram o efetivo para garantir a integridade física do preso.   

VEJA FOTOS DA PRISÃO DE SUSPEITO DE MATAR E ATEAR FOGO EM MULHER:



INDIGNAÇÃO
Aos gritos de "assassino", os familiares acompanharam a prisão. A irmã da vítima, Michelle Coimbra Marques, relatou que os últimos dias foram "torturantes" para todas as pessoas próximas de Karunã e disse esperar a justiça divina para o acusado. 


"Nossa Justiça é muito falha. Mas de Deus ele não vai escapar, tenho certeza. Tudo o que ela passou, cada minuto, dor que ela e nós estamos passando e nunca vai passar, ele vai pagar".   

MIchelle Coimbra Marques disse acreditar na justiça divina para acusado de homicídio (Foto: Amanda Rocha/acidade on)
 



"Ela era uma menina digna, estudiosa e trabalhadora, tinha uma filha para criar. Trabalhava 16 horas por dia para tentar criar a filha e um vagabundo entra na casa dela e faz o que ele fez. Não é certo", completou. 


Michelle disse que a irmã havia relatado abusos cometidos pelo rapaz durante o relacionamento. "Ele bateu nela, roubou, clonou o cartão em boca de droga, temos prova de tudo isso que estou falando", finalizou. 

Efetivo policial foi reforçado em frente a DIG devido a clima tenso após prisão (Foto: Amanda Rocha/acidade on)

Publicidade