Aguarde...

ACidadeON Araraquara

Araraquara
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Escola centenária é o elo comum dos matonenses

Antigo Grupão foi e é fundamental para formação pessoal e profissional de crianças de diversas gerações

| ACidadeON/Araraquara

Rui Roberto de Souza leciona na Escola José Inocêncio da Costa desde 2006
É difícil dimensionar o que lugares, edificações ou instituições representam na vida de cada membro de uma sociedade, geralmente heterogênea em preferências, crenças e experiências de vida. Contudo, mesmo que a trajetória seja diversa, o ponto inicial por vezes é o mesmo, ainda mais quando falamos de pequenas cidades ou comunidades.  

Este é o caso da Escola Estadual José Inocêncio da Costa, antigamente denominada Grupo Escolar de Matão, ou "Grupão", como os antigos ainda se referem à instituição. Localizada na região central da cidade, em frente à Igreja Matriz, foi construída em 1909 e inaugurada aos 11 de março de 1911. Integra um conjunto de escolas projetadas pelo arquiteto belga José van Humbeeck durante a República Velha (1889-1930) e é um dos poucos prédios dos primeiros anos de Matão que preserva a arquitetura original, tombado em novembro de 2010.  

"Esta escola foi e é fundamental para a história de Matão. Por ser centenária, a formação profissional e a educação de muitos matonenses, e de tantos outros imigrantes, passaram e passam por esta escola", afirma o professor de História dos ensinos fundamental e médio Rui Roberto de Souza, que leciona na E. E. José Inocêncio da Costa desde 2006.  

Rui, que nasceu em Cianorte (PR) e reside em Matão há 30 anos após casar-se com uma matonense, diz ser apaixonado pelas histórias de carinho, amor e saudosismo relatadas por ex-estudantes da Inocêncio da Costa, bem como por sua arquitetura. "Eu sou apaixonado pelo seu estilo arquitetônico e sou alucinado pelo porão dessa escola. Promovi várias incursões memoráveis dos alunos nesse porão, que desperta fascínio entre eles", recorda.  

Infelizmente, porém, o decurso do tempo exige algumas mudanças. "Também me recordo com tristeza da retirada de uma gigantesca flamboyant com sua magnífica sombra no interior do Pátio Central da escola, que teve de ser cortada por ocasião da reforma do prédio tombado pelo Patrimônio Histórico", pontua o professor.

Importância social  

O Brasil ainda é uma nação carente de educação de base e somente o seu desenvolvimento pode implicar na quebra das barreiras que nos separam. Para Rui, a escola deve estar comprometida com a sociedade e vice-versa. "Nossa sociedade somente será menos desigual, logo mais justa e voltada para o bem, quando as políticas públicas dos nossos governantes estiverem voltadas de fato para a valorização da Educação e da profissão do professor", reflete.  

Instituições como a E. E. José Inocêncio da Costa podem ser o ponto de partida para esta transformação, pois têm o respeito e a admiração daqueles que ajudaram a construir a sua história. "A escola José Inocêncio da Costa é o coração de Matão", resume Rui.