Aguarde...

ACidadeON

Voltar

Economia

Inadimplência de consumidores afeta pequenos municípios

Em Santa Lúcia e Américo Brasiliense, dívidas com água e IPTU somam mais de R$ 4,6 milhões, dizem prefeituras

| ACidadeON/Araraquara

Comércio da região reclama da inadimplência de muitos consumidores (Foto: Reprodução EPTV)
 
A crise econômica e o desemprego tem aumentado a inadimplência em cidades pequenas da região. A situação afeta comércio, empresas e a receita das prefeituras de Santa Lúcia e Américo Brasiliense.  

De acordo com a Serasa, em Santa Lúcia, que tem pouco mais de 8 mil habitantes, quase 38% dos moradores estão inadimplentes.  

Em uma farmácia da cidade, os clientes têm demorado cada vez mais para pagar as compras fiadas. "Você percebe que não é a má vontade em honrar com os compromissos. Em cidade pequena são pessoas com renda muito baixa, e a situação que se encontra o país dificulta", diz o farmacêutico Antônio Abuabud Junior. 
 
Para o professor Cláudio César de Paiva, do Departamento de Economia da Unesp de Araraquara, a inadimplência nos municípios menores faz com que a economia "não rode" e o desemprego cresça.  

Até o fim do ano, as dívidas totais dos contribuintes com a Prefeitura de Santa Lúcia deve chegar aos R$ 3.334.188.

Américo

Ainda segundo a Serasa, em Américo Brasiliense, que tem 30 mil habitantes a mais, quase 37% dos moradores tem dívidas atrasadas. Os moradores devem quase R$ 4,3 milhões em contas de água e IPTU.  

Em uma casa de carnes, mais da metade das vendas é feita por meio de fichas, em que o cliente compra e acerta a dívida depois. Assim como na farmácia em Santa Lúcia, a maioria dos consumidores não tem voltado para regularizar as dívidas.  

"Eles têm vontade pagar, mas a renda não ajuda. Então nós acabamos deixando de lado", conta a comerciante Juleide Lopes.  

O freezer, que funcionava como vitrine de carnes, precisou ser desligado por conta da baixa saída de produtos. Atualmente, funciona como balcão de pães. Juleide também afirma que precisou desfazer de outros quatro freezers.

O professor de economia disse que uma das primeiras contas que o consumidor deixa de pagar, para economizar, são os impostos.

"O ajuste nas contas começa pelo não pagamento dos tributos municipais. Isso faz com que as prefeituras fiquem em uma situação mais crítica. E as prefeituras são os principais empregadores das pequenas cidades", explica o economista. 

Ele recomenda que as pessoas busquem renegociar as dívidas para sair da inadimplência.


Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso. Para mais informações, consulte nosso TERMO DE USO"

Facebook

Mais do ACidade ON