Aguarde...

Economia

Coronavírus deixa comerciantes apreensivos em Araraquara

Empresários se reúnem com equipes para discutir prevenção e redução de consumidores nas lojas

| ACidadeON/Araraquara

Comércio na Rua Nove de Julho, em Araraquara  (Foto: Arquivo/Amanda Rocha)

O Coronavírus tem deixado comerciantes de Araraquara apreensivos. Empresários estão se reunindo com funcionários para recomendar formas de prevenção.  

A previsão do presidente do Sindicato do Comércio Varejistas (Sincomércio) Antonio Deliza é de que pode haver redução do consumo nas lojas e, consequentemente, no faturamento.  

Segundo Deliza, o Coronavírus traz um receio para comerciantes, que tem feito, diante da situação atual reuniões com os funcionários para, nesse primeiro momento, repassar informações sobre prevenção, que são prioridade.  

"Aos trabalhadores que se por ventura tiverem uma pequena mudança de saúde, ou que tenham uma pequena suspeita, que procure os órgãos de saúde para que possa se identificar e se isolem, façam sua higienização nas mãos, mas gostaria de ressaltar que infelizmente estamos no Brasil e espero que não apareça uma pandemia de trabalhadores que vão dizer que estão com gripe para não ir trabalhar. Isso é uma pena que isso possa acontecer e se as pessoas tiverem bom senso de quando tiverem, se afastarem, vai ser muito melhor para poder controlar. Tirando isso, está tudo normal".  

Deliza lembra que as orientações são discutidas justamente por conta do comércio lidar diretamente com o público. "O comércio que tem o dia-a-dia, o face a face com a população precisa estar realmente muito atento para que todos nós possamos nos proteger e levar nossa vida de uma maneira normal. O que a gente recomenda para esse momento aos empresários é que tenha bom senso, aos trabalhadores de que se tiverem alguma pequena mudança que procure os órgãos de saúde, tenham esse cuidado na alimentação, na preservação da saúde, afinal de contas todos nós temos família, idosos em casa e essas pessoas são as mais fragilizadas nessa situação".  

O presidente do Sincomércio de Araraquara ressalta também os reflexos da pandemia do ponto de vista econômico na cidade. "Estamos tão apreensivos quanto os demais cidadãos de todo o planeta. Efetivamente nós já estamos notando alguma apreensão muito grande e quando isso ocorre os negócios obviamente em cascata sofrem drasticamente porque investimentos mais pesados e situações em decisões de conta são adiadas por causa disso. Indo na contramão de um janeiro e fevereiro que tivemos uma pequena recuperação em relação ao ano passado, o que já era uma luz no fim do túnel, mas agora temos esse problema do coronavírus que vem assolando todo mundo".  

Com o risco de transmissão, o consumidor não vai querer sair de casa, inclusive para gastar. "Toda vez há algo de novo e que dá essa apreensão no consumidor, ele se retrai. Agora é apreensão, aguardar os resultados e eu acredito que se nós conseguirmos empatar nos números do ano passado estará de bom tamanho. O negócio é não esperar um declínio, mas ainda estamos brandos com isso, existe essa preocupação geral, essa apreensão que vem pela grande mídia, mas acredito que dentro de cada lar e cidadão a gente vai estar atento e vamos poder passar tranquilamente e não vai afetar tanto os negócios".  

Ele não acredita que a Páscoa, data importante do comércio, seja comprometida com os reflexos da pandemia de Coronavírus, mas que vai atrapalhar um pouco as vendas: esperamos que a tradição leve o consumidor a comprar.

Mais do ACidade ON