Aguarde...

Economia

Empresa de Araraquara irá produzir respiradores mecânicos

Grupo instalado na antiga fábrica da Iesa pretende entregar cinco mil unidades em todo o País

| ACidadeON/Araraquara

Respiradores mecânicos serão produzidos em Araraquara, na antiga IESA (Foto: Amanda Rocha/ACidadeON)
 

Uma empresa com sede em Araraquara e Camaçari (BA) anunciou nesta segunda-feira (25) a produção de cinco mil respiradores mecânicos.  

De acordo com o Ceo da empresa, Paulo de Tarso, há 45 dias o grupo soube da dificuldade de encontrar respiradores e passou a procurar esse tipo de tecnologia. 

"Fomos atrás de onde havia tecnologia em desenvolvimento, reparamos detalhes que precisavam ser feitos e testamos a máquina. Na semana passada fomos até Brasília mostrar o equipamento para o Ministério [da Saúde], pois hoje a maior dificuldade de encontrar no mercado são os equipamentos com 45 ou 50 PEEP, que é a ventilação forçada", explica.   

Paulo de Tarso , CEO da empresa BioGeoenergy (Foto: Amanda Rocha/ACidadeON)

"Os equipamentos então dando no máximo 30 PEEP, que são equipamentos para unidade de transporte e não para UTI. Nós apresentamos os equipamentos e mostramos que eles atendem todas as necessidades. Hoje temos peças para montar 1500 equipamentos e temos comprados peças para cinco mil equipamentos para produzir aqui em Araraquara e Camaçari", completa Tarso. 

Ainda de acordo com o CEO da empresa, serão gerados 250 postos de trabalho nas duas unidades e formação de 260 técnicos. "Serão dez de cada estados e vamos replicar isso até formar 1.040 pessoas em quatro meses. Isso irá acelerar a nossa produção", ressalta.   

Ana Paula Higa Siqueira fisioterapeuta da BioGeoenergy (Foto: Amanda Rocha/ACidadeON)

RECURSOS
Mesmo sem a autorização definitiva da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o grupo optou iniciar a produção e ter dois mil respiradores a pronta entrega, para quando as questões burocráticas forem resolvidas.  

De acordo com Paulo, o grupo investiu R$ 60 milhões, mas para fazer 5 mil equipamentos são necessários R$ 370 milhões. "Quarta-feira estarei em Brasília para ver qual será o volume de compra do governo, para ter uma linha de crédito e poder produzir. Há previsão de venda de 2.500 equipamentos, mas precisamos chegar aos 5 mil", detalha o CEO.   

Respiradores mecânicos terão custo entre R$ 75 mil e R$ 100 mil (Foto: Amanda Rocha/ACidadeON)

PREÇO
A unidade terá capacidade para produzir 100 respiradores mecânicos por dia, que serão comercializados com valores entre R$ 75 mil - com garantia de um ano - e R$ 100 mil - três anos de garantia.  

"Os pacientes internados com a covid-19 podem desenvolver um quadro de insuficiência respiratória aguda e necessitam do ventilador mecânico. O aparelho vai fornecer ar e oxigênio com o intuito de manter o pulmão aberto, facilitar a troca gasosa e manter os músculos respiratórios em repouso, até que o paciente consiga realizar este processo sozinho. Estudos comprovam que na Covid-19 a PEEP elevada é mais eficiente para ser utilizada no tratamento, e o nosso equipamento possui a PEEP de 0 a 50", explica a fisioterapeuta Ana Paula Higa Siqueira.

Mais do ACidade ON