Aguarde...

Economia

Setor junino registra queda de 90% com crise do coronavírus

Venda de roupas típicas, comidas e bebidas, tudo relacionado à data passa por um momento difícil

| ACidadeON/Araraquara

Festa junina passa também por crise por causa do coronavírus (Foto: Reprodução)
 
Hoje é dia de São João. Uma das festas brasileiras mais tradicionais. Difícil encontrar quem não gosta de festa junina, não é mesmo? Mas este ano, a festa será diferente. As comemorações são em casa, sem aglomeração.  

Essa mudança no comportamento interfere no setor de festas, que calcula um faturamento 90% menor em relação ao ano passado.

Para se ter uma ideia da crise que abala o setor, em uma loja de Araraquara, em 2019 foram comprados quatro mil chapéus de festa junina. Este ano, foram só 100 e que ainda estão encalhados.  As roupas, vestidos e camisas, por exemplo, também ocupavam todo um setor, hoje só uma arara.  

A empresária Celma Barucci lembra que a data sempre foi importante. No ano passado foram investidos R$ 50 mil em artigos pra festa junina. "O que temos hoje é o que sobrou do ano passado. Esse ano não vendemos quase nada".  

"Vendo um pouco para quem está trabalhando no comércio e quer usar uma fantasia para atrair o cliente", explica Barucci.  

O aposentado Laercio Galhazi que costumava reunir a família, precisou repensar a festa. Ela vai acontecer, mas não como antes. "Coisa bem simples, com todo o cuidado", afirma ele.  

CRISE
Essa mudança de comportamento provocada pela pandemia afeta diretamente as lojas especializadas. O empresário Antonio Deliza Neto, proprietário de uma loja de doces no Centro de Araraquara lembra que esta era uma das melhores datas pro setor.  

"A queda do setor de festa está muito comprometida com a pandemia", diz.

Este ano os produtos típicos tem vendido menos, o movimento está cerca de 60% menor que nos anos anteriores.
O economista Diego Souza explica que o setor de festas foi o mais afetado pela pandemia. E um dos últimos que deve se recuperar da crise.  

"O empresário espera um faturamento maior e muitos setores dependem destas épocas do ano para decolar, por isso, o comércio deve apostar em ideias criativas como cestas para festas em casa", diz Souza.


Mais do ACidade ON