Aguarde...

Economia

Com alta acumulada, botijão de gás chega a R$ 90 em Araraquara

Preço do gás e alta também dos alimentos pressionam quem depende destes insumos para trabalhar

| ACidadeON/Araraquara

Gás de cozinha está até 5% mais caro em Araraquara (Foto: Ilustrativa)
 
Além da alta do preço dos alimentos de primeira necessidade, o vilão da vez para o consumidor é o botijão de gás, que há muito tempo, também, não tem um preço agradável para quem precisa cozinhar. Nas últimas semanas, a Petrobras divulgou um reajuste no preço do produto, de 5%. Com o acréscimo, o valor do GLP já acumula alta de mais de 16% neste ano.  

De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, o produto era comercializado em Araraquara a um preço médio de R$ 80,50 na primeira semana de novembro. O preço máximo encontrado foi de R$ 86. No entanto, nesta semana, já é possível encontrar o produto por R$ 90. em diversos revendas consultadas pela reportagem no município.

Para a confeiteira Andreia Ortega Silva, a alta do preço do gás incomoda, mas não é só isso. O óleo de soja também está mais caro. Ela diz que há um mês comprou três botijões a R$ 65 a unidade, porém logo terá que comprar mais.  

"A gente está sentindo a cada dia a alta do gás, do óleo, o material em geral que precisamos para trabalhar. Cada dia está mais difícil. No caso do botijão chegamos a fazer um estoque para economizar, mas já estamos tendo que repor", diz ela. 

Ingredientes que eram para ser doces, chocolate, confeitos e leite condensado estão com o preço mais salgado. Para que os docinhos fiquem gostosos, Andreia não abre mão da qualidade.

E para não perder vendas com o preço alto de matéria-prima e do gás para esquentar o fogão, ela explica que o jeito tem sido absorver um pouco os custos e repassar o mínimo para os clientes
 
"O leite condensado, por exemplo, está muito caro e precisamos destes produtos de qualidade e isso está muito caro e a alta não está sendo repassada para os clientes", diz ele.

O preço do gás subiu mais que a inflação do país. No mês passado, por exemplo, o botijão aumentou 2,07%, enquanto o IPCA-15 avançou 0,94%. No ano, o gás de botijão acumula um avanço de 5,47%, contra uma inflação geral de 2,31%. 

As justificativas, de acordo com a Petrobras, são os valores do petróleo no mercado internacional e do dólar nos últimos três meses. De acordo com a empresa, o valor final do gás não é definido apenas pelos custos do produto e do transporte, mas também pelas margens das distribuidoras e pelos impostos.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON