Publicidade

economia

Araraquara tem a maior alta de exportações dos últimos três anos

Até agosto, foram enviados ao exterior mais de US$386 milhões em produtos - salto de 19% em relação a 2020

| ACidadeON/Araraquara -

Setor sucroalcooleiro é um dos destaques 
Araraquara tem exportado mais em 2021. Até agosto, foram enviados ao exterior mais de US$386 milhões em produtos é o maior valor dos últimos três anos para o período.
Em relação ao ano passado, o crescimento foi de 19%. Por conta da pandemia, 2020 tinha tido, até então, o pior desempenho dos últimos cinco anos, com US$324 milhões em exportações. 

Os números são do ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e foram compilados pela CBN Araraquara. 

Mais uma vez o setor de "produtos das indústrias alimentares" liderou o ranking de exportações. Principalmente, o de sumos de frutas. Os maiores mercados estão na Europa e na União Europeia.  

O economista e colunista da CBN Araraquara, Eduardo Rois Morales Alves, atribui o crescimento a valorização das commodities agropecuárias e das cadeias agroindustriais. 

"Aqui nós temos sediado, destacadamente a cadeia sucroalcooleira e a citricultura, que são uma das mais fortes do país. Precisamos destacar o crescimento do mercado do açúcar no mundo"  

O presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Ademir Ramos, afirma que Araraquara se consolidou no setor sucroalcooleiro.
"Araraquara contribui praticamente com o que ela tem de maior, que é o setor sucroalcooleiro, os concentrados de laranja, de modo geral, e a questão do açúcar e os demais derivados da cana de açúcar. A gente tem observado isso no decorrer de alguns anos, que ela se consolida nessa área de produção. Agora, há de se considerar também que não é só o setor alimentício especifico de Araraquara, mas de um país de modo geral, logicamente embasado em cima do agronegócio", explica.  

No comparativo com os últimos cinco anos, 2018 teve o melhor resultado, com mais de US$711 milhões em produtos exportados. A partir de então, houve duas quedas consecutivas até voltar a crescer neste ano.  

Ademir Ramos afirma que os bons números obtidos reforçam a retomada da economia, pós-pandemia da Covid-19 e o aumento do consumo de itens de primeira-necessidade.
As importações também cresceram. Em relação ao período de janeiro a agosto de 2020, o aumento foi de 36,6%. 

O setor de máquinas, aparelhos e instrumentos foi o que o mais enviou produtos para Araraquara. A maioria deles vindo da Europa e União Europeia.  

Nos últimos cinco anos, 2017 teve o melhor desempenho nas importações, com mais de US$ 103 milhões de produtos importados.  

O presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) atribuiu o aumento das importação a retomada da economia.  

"Primeiro, a retomada da economia, devagar, mas começa uma retomada e, logicamente, ela demanda a aquisição de mais equipamentos. Segundo ponto, a escassez de equipamento, que, dependendo da necessidade da empresa, ela tem que buscar, imediatamente, em outro país. Então, são dois aspectos que vejo a questão da importação - principalmente de máquinas e equipamentos.  

Para o economista, o aumento das importações, principalmente, de máquinas e equipamentos significa investimento. 

"Essa importação é muito salutar para a economia, pois significa uma retomada, de um processo de confiança das empresas e, sobretudo, é um gasto em investimento. Investimento é um gasto fundamental para a economia e, sobretudo, para a geração de emprego". 

Sobre o assunto, o vice-prefeito e secretário de Desenvolvimento Econômico, Damiano Barbiero Neto, disse à CBN que "o bom desempenho da indústria de alimentos confirma a expectativa de retomada do desenvolvimento econômico da região, onde se destaca o papel fundamental das commodities, além da indústria aeroespacial. E o crescimento das importações no setor de máquinas também é positivo, porque sinaliza para a retomada importante do processo de produção em vários setores da economia local".





Mais notícias


Publicidade