Publicidade

economia

13º salário deve ser usado com cautela e para organizar contas

Educador financeiro lembra que 70% da população brasileira está endividada; benefício deve injetar R$ 233 bilhões de reais na economia brasileira

| ACidadeON/Araraquara -

 

A primeira parcela do 13º cai em época de Black Friday; população deve se atentar as contas e não se empolgar tanto (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

 

Novembro é um mês de alívio pro trabalhador com a chegada da primeira parcela do 13º salário. Esse benefício deve injetar R$ 233 bilhões na economia brasileira, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. 

Bom para a população e para o comércio que aguarda o aumento nas vendas. Mas, segundo educadores financeiros, esse dinheiro a mais, deve ser usado também para pagar as dívidas e se programar para os gastos do início do ano. 

Quem não espera ansioso a chegada de uma graninha extra, em? A primeira parcela do 13º já está pra sair e tem muita gente fazendo planos com esse dinheiro. É o caso da empregada doméstica, Rita Mariano. "Compro as coisas natalinas e ajudo um pouco na casa também, né" disse.  

Já a auxiliar de escritório, Claudia Aparecida da Silva, pretende quitar algumas contas. "Ajuda a adiantar umas continhas e dar uma organizada no orçamento, sempre ajuda bastante", frisou. 

Ganhar a confiança do consumidor não tem sido tarefa fácil. Depois de meses complicados para o comércio, aos poucos as vendas tem começado a melhorar. E essa percepção veio desde o mês de outubro, segundo a gerente de loja, Elaine Carboni. 

"No mês de outubro que é o mês das crianças já houve um retorno bom dos clientes na loja, nesse mês de novembro já percebemos uma diferença entre os outros mese, e vindo o 13º acreditamos que vai melhorar mais ainda", apontou.  

SEGURA A MÃO

O 13º acaba chegando num momento bem propício para a gente gastar, pois a primeira parcela agora em novembro, junto com a Black Friday. A segunda parcela chega em dezembro, junto com o Natal e as festas de final de ano.  

Mas, os especialistas recomendam: é importante ficar atento e poupar, isso porque no começo do ano, algumas contas podem apertar o orçamento. É o que explica o educador financeiro Caio Botta: 

"Em janeiro temos IPVA, IPTU, matrícula de escola, material escolar, são vários boletos no começo do ano que depois nos outros meses não têm", reforçou. 

O educador financeiro lembrou também que já é bom se organizar para quando o dinheiro chegar. 

" É importante lembrar que quase 70% da população brasileira já está endividada agora em novembro com prestação de casa e cartão de crédito, importante não deixar de pagar essas contas porque a longo prazo acumula valores maiores ainda", avaliou.

Mais notícias


Publicidade