Aguarde...

esportes

Sem patrocinadores, vôlei feminino faz 'vaquinha' na internet

Equipe de vôlei feminino perdeu os quatro patrocinadores e busca outros para avançar nas competições

| ACidadeON/Araraquara

Sem patrocinadores, vôlei feminino faz 'vaquinha' na internet
A pandemia do novo coronavírus mexeu com o planejamento de muitas equipes esportivas. Em Araraquara, por exemplo, a equipe de vôlei feminino perdeu os quatro patrocinadores e busca, agora, outros para avançar nas competições previstas para este ano. Porém, as negociações estão difíceis diante das incertezas econômicas.

Para tentar alavancar recursos para manter os custos da Associação Vôlei Mais, que controla o time, integrantes da equipe estão vendendo rifas e disponibilizaram, também, uma "vaquinha virtual" para arrecadar fundos. Quem explica a situação é o presidente da associação, Welton Franco.

"Em um primeiro momento fizemos várias rifas, inclusive estamos com quatro rifas abertas, as quais os prêmios são camisas dos quatro grandes times de futebol de São Paulo, a R$ 5 o número. Nós também abrimos uma plataforma virtual, como se fosse uma vaquinha. A pessoa entra lá e faz uma doação de R$ 10, R$ 15, R$ 20 ou quanto a pessoa puder doar", afirma.

Segundo o presidente, a associação reduziu em 60% o valor das cotas de patrocinadores e aguarda a resposta de algumas propostas Mesmo com o caixa enfraquecido, o salário das atletas está sendo pago corretamente pela Fundesporte, que é ligada ao governo municipal.

"O que impactou nesta pandemia foram os custos da associação. Tínhamos quatro patrocinadores da equipe e acabamos perdendo. Então perdemos 100% dos patrocinadores e ainda temos que pagar taxas, taxa de filiação, taxa de transferência, a inscrição da equipe. A gente estava negociando com empresas e o negócio desandou. Com isso, tivemos que refazer o plano comercial e baixamos em quase 60% o valor das cotas", ressalta.

Mesmo com tudo parado e a distância, os trabalhos e o acompanhamento físico continuam com as atletas. O objetivo é minimizar as perdas de condicionamento.

"As meninas voltaram para casa e não ficou ninguém em Araraquara, mas elas continuam treinando. Eu sou preparador técnico da equipe e continuo passando alguns exercícios. Elas tiram suas dúvidas e a nossa fisioterapeuta, Amanda Soler, também passa exercícios preventivos e fortalecimento. Então, a parte física delas continua, claro que não do mesmo jeito, mas estamos buscando minimizar essa perda da parte física", conta.

Welton avalia que as competições devem retornar em agosto. Porém, tudo ainda é incerto e depende das condições de saúde pública. Um novo modelo de disputa, inclusive, está sendo estudado pela federação da categoria.

"Tudo depende da evolução. Já tem equipes pensando na volta para treino, mas para competição, a Federação pensa de 15 de agosto até o final de setembro. O campeonato será remodelado, antes era turno e returno, com dez ou 12 equipes. Agora eles devem regionalizar ou quebrar em grupo, mas tem que acabar em dezembro".

As contribuições para a equipe Vôlei Mais de Araraquara podem ser feitas no - https://www.kickante.com.br/campanhas/projeto-volei-araraquara.