Aguarde...

esportes

Dado quer aproveitar período sem jogos para fazer amistosos

Técnico da Ferroviária terá quase um mês até a próxima partida oficial pela Copa do Brasil

| ACidadeON/Araraquara

Dado Cavalcanti espera evolução da Ferroviária (Foto: Divulgação/AFE)
Com o 'fim da linha' no Estadual, a Ferroviária inicia sua preparação para o restante do calendário de 2020, quando disputará a partida de volta da Copa do Brasil e iniciará sua jornada em busca do acesso à Série C do Campeonato Brasileiro.

Mas, até lá, serão quase 30 dias sem entrar em campo para disputar partida oficial, já que o próximo compromisso será no dia 26 de agosto, quando o time de Araraquara deve ir a Belo Horizonte enfrentar o América Mineiro, no duelo de volta da terceira fase da Copa do Brasil.  

Durante este período, além dos ajustes táticos e técnicos, o técnico Dado Cavalcanti considera fundamental dar ritmo de jogo para seus comandados e analisa que jogos amistosos serão fundamentais nesse período de preparação para chegar no confronto com o Coelho bem física e tecnicamente.  

"Não visualizo quase 30 dias entre um jogo e outro sem fazer amistosos. O tempo de treinamento é válido, porém, nós vamos perder competitividade por falta de ritmo de jogo. Já estava conversando com a direção para visualizar lá na frente a perspectiva de fazer jogos amistosos, porque nosso adversário (América-MG) enfrenta outros times durante a Série B do Brasileiro e provavelmente vai fazer sete jogos de hoje até o nosso confronto. Não quero fazer com que nossa equipe perca uma partida importante como essa, por influência de ritmo de jogo", afirma o treinador. 

Apesar da necessidade de dar ritmo de jogo aos seus comandados, o treinador alerta para os protocolos de saúde e ressalta que é fundamental que haja toda uma logística para a realização dos amistosos, uma vez que a pandemia do novo coronavírus ainda está crescendo no interior de São Paulo.

"A segurança para fazer o jogo-treino talvez seja a principal dificuldade. Por isso, não é responsabilidade exclusiva de uma pessoa de pegar o telefone e combinar o jogo, assim como era feito anteriormente. Agora é necessário envolver mais pessoas para tomar os cuidados necessários para que não haja contaminação e essa vai ser a nossa maior dificuldade, de fazer a logística desses jogos com segurança, mas será necessário", finaliza.

Mais do ACidade ON