Aguarde...

ACidadeON Araraquara

Araraquara
mín. 20ºC máx. 36ºC

Lazer e Cultura

Uma história de amor entre Brasil e Rússia

Mauricio e Marina se conheceram na última Copa e há dois anos estão morando em Araraquara

| ACidadeON/Araraquara

 
A distância entre Brasil e Rússia é de aproximadamente 14 mil quilômetros. É longe, bem longe. Outro continente, 18 horas de voo, mas nada disso foi empecilho para o casal Mauricio e Marina Vasconcellos Menzori, que se conheceram há quatro anos e há dois estão casados e morando em Araraquara.  

A história de amor entre o publicitário e a médica, ambos de 34 anos, começou de maneira inusitada e porque não falar moderna para os padrões russo. Eles se conheceram em um site de relacionamento. "Minha família dizia que eu precisava de um marido e me inscreveu em um site de relacionamento. Logo, recebi a mensagem do Mauricio e começamos a conversar. Era engraçado porque ele sempre mandava textão e eu pensava, ela gosta muito de escrever", brinca Marina, que é muito bem-humorada.  

"Em três meses, o Mauricio disse, estou indo para a Rússia. Eu não acreditei, mas quando me dei conta estava indo buscá-lo no aeroporto", conta Marina.  

No aeroporto um fato engraçado. Marina levou roupas de frio e botas para Mauricio, já que fazia 20ºC graus negativos no dia. "A distância entre o saguão do aeroporto e o carro era o suficiente para congelar, mas Mauricio não acreditou ou talvez ainda por timidez, disse que não precisava das roupas. Quando vi, ele estava correndo, porque não suportava o frio".   

Mauricio é brasileiro e Marina é russa (Fotos: Amanda Rocha)
 
Marina é muito extrovertida e engraçada, o que foge dos padrões de comportamento tradicional dos russos. "Na minha família sempre fui estranha, desde pequena, porque sou divertida. Na Rússia as pessoas são mais fechadas que aqui no Brasil. Você não sorri para quem não conhece, não cumprimenta dando beijos no rosto", conta.
Mauricio é mais tímido. "Sempre tive dificuldades para me relacionar e foi através de um site europeu que encontrei o amor da minha vida", relata ele.  

"Quando cheguei na Rússia percebi que estava apaixonado e pedi ela em namoro e em casamento. Viajei três vezes para a Rússia e na terceira nos casamos", conta Mauricio.  

O casamento, a propósito, que foi organizado de última hora. Os documentos de Mauricio só ficaram prontos na véspera e foi uma correria.   

O casamento foi na Rússia há dois anos (Fotos: Amanda Rocha)
 
Nova família 
Depois de casados, Mauricio e Marina partiram para o Brasil, para começar uma nova vida. "Na minha cultura, não é admissível que uma mulher sustente o marido. Por isso, escolhemos morar aqui, onde ele tem um emprego, uma profissão", relata Marina.  

Na Rússia, Marina é médica e advogada. Seu diploma está sendo traduzido e ela está buscando os meios para começar a atuar no Brasil. "Desde que cheguei no Brasil me ocupo aprendendo português e outros afazeres, como culinária e artesanato, coisa que eu não tinha tempo na Rússia, pois trabalhava muito. E agora, também busco maneiras para atuar como médica, que é a minha profissão é o que eu amo fazer", diz ela.  

Marina cozinha muito bem e aqui em Araraquara aprendeu a fazer crochê. "Nunca me imaginei fazendo trabalhos manuais, mas deu certo", conta.  

Em relação às estranhezas, a médica conta que uma das coisas que mais incomoda no Brasil é a falta de educação no trânsito. "Quase fui atropelada várias vezes", brinca.  

Outra observação da russa é que as brasileiras se arrumam pouco. "Na Rússia, as mulheres são muito vaidosas. Se cuidam mais e estão sempre arrumadas. Aqui, as mulheres não são assim", observa.   

 
Jeitinho russo
A aceitação da família em relação ao casamento foi imediata. "Minha família gostou muito do Mauricio e disseram para eu me casar se estivesse apaixonada", diz.  

Na Rússia, Mauricio ficou muito amigo da sogra e também de uma das irmãs de Marina, que falavam inglês. Com o sogro, um militar, Mauricio diz que nunca conversou, além dos cumprimentos tradicionais. "Ele não fala inglês e é muito sério", diz ele.  

Mauricio está aprendendo russo. E um dos motivos é para poder conversar com o sogro. "Ainda vou falar com ele", brinca.  

Cada um deve torcer pelo seu País na Copa (Fotos: Amanda Rocha)
 
Copa 
O casal não é fã de Copa. Mas entre as coincidências da vida eles se conheceram em 2014, ano de Copa do Mundo. "Na Rússia, quando descobriram que eu era brasileiro, virei atração durante a Copa", brinca Mauricio.  

Mas é claro, que a torcida na casa do casal está dividida. "Sei que a Rússia não tem um bom time, mas claro que torço pelo meu País", diz Marina.  

"Sou brasileiro e torço para que o Brasil ganhe a Copa", finaliza Mauricio.  


Veja também