Publicidade

lazerecultura

Mulheres negras serão premiadas e homenageadas em Araraquara

Prêmio "Dra. Rita de Cássia Corrêa Ferreira está com inscrições abertas; indicações podem ser feitas via online até o dia 4 de julho

| ACidadeON/Araraquara -

  

 

Mulher negra mulheres negras negro cotas  (Foto: Amanda Rocha)
Araraquara premia mulheres negras em destaque na área social da cidade no dia 25 de julho (Foto: Amanda Rocha)

 




Araraquara está com as inscrições abertas para o Prêmio "Doutora Rita de Cássia Corrêa Ferreira", premiação que homenageia anualmente, no dia 25 de julho, dez mulheres negras (pretas, pardas, latino-americanas e caribenhas) que se destacaram profissionalmente ou prestaram relevantes serviços na área social. O objetivo é a valorização da mulher afrodescendente no contexto da cidadania.

A definição das homenageadas é feita mediante a escolha pela maioria dos integrantes do Conselho Municipal de Combate à Discriminação e ao Racismo (COMCEDIR) a partir de indicações apresentadas por autoridades, entidades, conselhos municipais, organizações da sociedade civil, que tenham compromisso na luta em defesa dos direitos das mulheres negras. 

Desta forma, a Coordenadoria de Políticas Étnico-Raciais de Araraquara solicita que os setores citados enviem a indicação, bem como o currículo de mulheres que se encaixem no perfil exigido, para o e-mail aepir@araraquara.sp.gov.br, com prazo limite até o dia 4 de julho, às 14h.
 
  
VEJA TAMBÉM  
Pontilhão de Araraquara fica sem energia elétrica após furto  
Araraquara têm serviço para recolhimento de animais mortos
 

A cerimônia de entrega da premiação será no dia 25 de julho, às 19h, na Biblioteca Municipal.

QUEM FOI A  DOUTORA RITA DE CÁSSIA CORRÊA FERREIRA 


A doutora Rita de Cássia Corrêa Ferreira nasceu em Marília, em 24 de maio de 1965, mas foi em Araraquara que passou grande parte da vida, advogando e militando pelos direitos da mulher negra. Formou-se advogada em 1991, com carreira pautada pela defesa das minorias.

Rita de Cássia presidiu a Comissão da Igualdade Racial da OAB Araraquara, foi voluntária do SOS Racismo do Centro de Referência Afro, e integrante do COMCEDIR. Faleceu no dia 6 de junho de 2016, deixando um legado de combate ao racismo e à discriminação religiosa.


LEIA MAIS 
Veja a programação do Mês do Orgulho LGBTQIA+ em Araraquara

Publicidade