Aguarde...

ACidadeON Araraquara

Araraquara
mín. 20ºC máx. 36ºC

Política

Regulamentação reacende disputa entre motoristas de aplicativos e taxistas

Prefeitura emitiu na semana passada regras para motoristas de aplicativos; taxistas pedem tratamento igual e taxação da concorrência

| ACidadeON/Araraquara

Aplicativos operam em Araraquara há onze meses. (Foto: Amanda Rocha/ACidadeON)

Funcionando em Araraquara há onze meses, aplicativos de transportes - como por exemplo Uber e 99 -, ainda geram quedas de braços entre seus motoristas e taxistas. A disputa para um passageiro está bastante acirrada. Hoje o número de motoristas parceiros nos aplicativos já é duas vezes mais que o de taxistas, na cidade. São mais de 350 ubers cadastrados contra aproximadamente 150 taxis, que pagam impostos junto à prefeitura para trabalhar.  

Um taxista que está há mais de dez anos na área e não quis ser identificado, fala que aguarda um posicionamento da prefeitura sobre a regulamentação da concorrência, porque com ela valendo, a disputa pelos passageiros ficaria mais justa. Ele explica o porquê é possível os cadastrados nos aplicativos lucrarem mais que os taxis. 

"O táxi tem o seu ponto fixo. Ele leva o cliente até a casa dele e é obrigado a retornar ao seu ponto para aguardar novos clientes. O Uber tem um preço diferenciado, pois ele cobra só o local de curso do cliente, ou seja, o trajeto. Então ele está aqui, pede e vai para a cidade, lá ele pega outro, fica rodando o dia inteiro. O problema do táxi é que ele não pode fazer isso". 

Motorista de taxis há oito anos, Jose Henrique de Souza, diz que o movimento caiu bastante, desde que os aplicativos foram liberados e começaram a operar em Araraquara. Outro ponto levantado pelo profissional é a existência de transportes clandestinos na cidade. 

"Nós perdemos muitos passageiros. Precisamos de uma ajuda do prefeito, pois ele atrapalhou em deixar a Uber entrar em Araraquara e fazer este serviço", afirma. 

Marcos Roberto Mori, que é taxista há dez anos, diz que os rendimentos caíram até 70%, tudo por causa da concorrência.
"Para nós taxistas está sendo bem pesado. Acabou com a gente e não temos mais como manter nossas famílias com o que a gente está trabalhando, pois caiu em torno de 70% com a vinda da concorrência dos aplicativos", explica. 

Desatualização e dificuldades
Segundo o motorista de aplicativo, Guilherme Paiva, os taxistas perderam um pouco de espaço porque não se atualizaram.
"Acho que eles ficaram bravos por perderem um mercado que dominavam e precisam se atualizar, como tudo na vida. As coisas foram se modernizando e não só a profissão de taxista, como a de vendedor, jornalista, qualquer profissão está exigindo se atualizar e vejo que eles ficaram para trás", defende. 

Mas, se engana quem pensa que a vida de motorista parceiro é fácil. Ao menos para Paiva, o negócio só é lucrativo, se o cadastrado se dedicar bastante ao trabalho. 

"Eu acho que compensa se você tiver disponibilidade para trabalhar. Não é uma maravilha como pintam que você vai começar com Uber e ganhar milhões de reais. Vai ter que trabalhar muitas horas por dia, vai ter que estudar os locais onde você está indo para poder ver se há uma concentração maior de passageiros e não ter preguiça de trabalhar", afirma. 

Ricardo Magalhães está cadastrado há seis meses no aplicativo de transportes. Veio da cidade de Dourado para tentar a vida em Araraquara. No Uber, começou como freelancer e hoje tira o sustento da casa com as corridas. 

"No início foi para acrescentar, mais como um bico mesmo. Agora estou me adaptando para me dedicar mesmo a isso.
Em média, por dia, consigo tirar uma média de R$ 150. Eu acho que como em todo ramo tem espaço para todo mundo. Nós não estamos atrapalhando ninguém".  

Uber x táxi

Os usuários gostam da ideia da "carona remunerada". As tarifas são mais baratas se comparadas às cobradas pelos taxistas. Para Diego Vilela, de 35 anos, este serviço trouxe opção aos passageiros e, também, oportunidade de trabalho pra muita gente. 

"Ele deu a oportunidade para pessoas que estariam vagando em busca de emprego de serem independentes. Também facilitou muito e barateou o transporte das pessoas que precisam", defende. 

A estudante de direito, Michele Gonçalves, parou o seu carro na garagem e agora só usa aplicativo, inclusive para ir à faculdade. 

"Para mim é muito vantajoso, porque eu não gosto de dirigir e se vou na faculdade de carro tem que pagar estacionamento, então essa opção acaba sendo bem mais em conta". 

Mais justiça
O Sindicato dos Taxistas de Araraquara afirma que ainda aguarda uma reunião com a Prefeitura para discutir a regulamentação do aplicativo, na cidade. De acordo com o sindicato, a clareza e as condições da lei vão trazer igualdade na disputa para passageiros. 

Procurada, a Prefeitura de Araraquara diz que a regulamentação da Lei do aplicativo Uber, na cidade, está sendo feita de maneira intersetorial. 

Segundo a prefeitura, a Coordenadoria de Mobilidade Urbana tem se reunido com o setor jurídico para debater a
melhor maneira de regulamentar a lei. 

Sobre a agenda com os taxistas, o Comitê de Agenda do prefeito está articulando uma data e irá marcar uma reunião em breve. A reportagem segue acompanhando os desfechos da Lei na cidade. 

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook