Aguarde...

Política

Maioria dos prefeituráveis concorda com adiamento das eleições

Congresso Nacional começa a debater o tema; ACidade ON ouviu sete pré-candidatos a Prefeitura sobre a proposta

| ACidadeON/Araraquara

Araraquarenses vão às urnas em 2020 para escolher ao cargo de prefeito e vereadores


Em meio à pandemia do novo coronavírus, isolamento social e quarentena nas diferentes cidades brasileiras, começa a ser discutida no Congresso Nacional a possibilidade de alterar a data das eleições municipais, de 4 de outubro para dezembro, sem ampliação de mandatos. O tema ganha força nos bastidores políticos em Brasília e agrada a maioria dos postulantes à Prefeitura de Araraquara.

Ouvimos sete 'prefeituráveis' anunciados por seus partidos para concorrer nas urnas em 2020. Entre eles, somente o atual prefeito Edinho Silva (PT) não opinou, dizendo que no momento está focado no combate a covid-19 na cidade. Rodrigo Ribeiro, pré-candidato pelo PRTB foi contrário e outros quatro postulantes favoráveis a proposta de adiar para o fim do ano, sem ampliar o mandato. Doutor Lapena (Patriota), diz que concorda com a suspensão, se o País ainda estiver enfrentando a pandemia.

O QUE ESTÁ SENDO DISCUTIDO
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), anunciou nesta terça-feira (19) a criação de uma comissão mista composta de deputados e senadores para debater o adiamento da data das eleições municipais previstas para outubro, sem a prorrogação dos mandatos dos atuais prefeitos e vereadores. O tema foi abordado pelo político durante programação da TV Câmara.  



O QUE DIZ CADA UM DOS PREFEITURÁVEIS
Confira na íntegra e em ordem alfabética o que cada um dos 'prefeituráveis' responderam à reportagem.  

Coronel Adalberto ao lado de lideranças do Republicanos durante filiação (Foto: Divulgação)


Adalberto José Ferreira, Coronel Adalberto, pré-candidato pelo Republicanos
Na minha opinião, discutindo junto com o pessoal do Republicanos em Araraquara nós achamos que realmente seja salutar. Porque embora já tenha um quadro se formando de pré-candidatos a prefeito, vereador e vice-prefeito, esse é um momento em que devemos nos preocupar mais com a saúde das pessoas e, fazer campanha agora, pré-campanha, provocar aglomerações, fica um tanto difícil. E nessa questão de não fazer campanha, nós devemos respeitar as pessoas e também devemos pensar que se tivesse agora em campanha, não teríamos a possibilidade de mostrar as propostas para todo mundo. Se nós não tivermos essa possibilidade, as pessoas são prejudicadas com relação as propostas a serem apresentadas. Então fica difícil a escolha de cada um. Acho que seria salutar sim essa mudança de calendário, talvez adiar por um mês, dois meses, quem sabe lá para dezembro fazer a eleição. Então tem tempo para que a situação se acomode, quem sabe e vamos torcer para que haja a descoberta dessa vacina do coronavírus e assim as pessoas, a população possa estar de forma mais segura em relação a esse momento que estamos vivendo. Acho interessante mudar para novembro, dezembro, mas sei que está tendo um estudo e esperamos que entrem um consenso para o melhor da população.  

Coca Ferraz foi renomeado como secretário de Transporte e Trânsito de São Carlos nesta terça-feira (Foto: Reprodução EPTV)


Antonio Clovis Pinto Ferraz, Coca Ferraz, pré-candidato pelo PSL 
Sou a favor que as eleições sejam adiadas, se necessário for, porque a vida está acima de qualquer outra coisa. Então não podemos correr o risco de ter um agravamento da pandemia em razão das eleições. Por outro lado, eu sou totalmente contra a prorrogação dos mandatos dos prefeitos. Acho que as eleições podem perfeitamente ocorrer neste ano, mais no final, mas é fundamental que elas ocorram este ano, por questões até de democracia, de se manter a Constituição que prevê mandatos dos prefeitos até o final deste ano.  

Edna Martins é um dos nomes fortes do PSDB para disputa eleitoral (Foto: Divulgação)


Edna Sandra Martins, Edna Martins, pré-candidata pelo PSDB
Sobre a proposta veiculada em discussão no Congresso, pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, de adiamento das eleições, acho que temos sempre que ponderar sobre em que circunstâncias essa decisão está sendo discutida. É sempre negativo pensar em prorrogação de mandatos, porque os dirigentes atuais foram eleitos por um período e ele está se findando. É sempre ruim pensar em romper esse ciclo democrático de sucessão nos poderes públicos. No entanto, é preciso pensarmos também no momento que estamos vivendo, singular, de uma pandemia em que tudo é muito novo nesse cenário. Já contabilizamos vários prejuízos, acho que o mais grave deles são as mortes, que são em números alarmantes. Só no Estado de São Paulo, mais de cinco mil mortes, no Brasil já contabilizamos mais de 17 mil mortes e muitos contaminados. Então frente a essa situação, me parece uma boa proposta o adiamento das eleições, sem prorrogação de mandatos. O adiamento das eleições inclusive pode nos permitir realizar as eleições em melhores condições, porque já está comprovado que o nosso País não permite o acesso ou ainda não tem as condições de acesso de toda a população as redes sociais, a internet, as novas tecnologias, portanto, fazer um processo eleitoral em meio a uma pandemia, onde o isolamento está colocado pode prejudicar muito a própria eleição. Então, o adiamento nos permitiria fazer a eleição, quem sabe, em melhores condições, onde as pessoas podem ter acesso aos candidatos, as propostas dos candidatos, a conversa com os candidatos para que possam escolher bem os representantes municipais.  

Edinho Silva (PT) se posiciona sobre quarentena e fala de Bolsonaro (Foto: Divulgação)


Edson Antonio Edinho da Silva, prefeito e pré-candidato a reeleição pelo PT
Para o prefeito Edinho, o tema eleição não é a prioridade. Todos os nossos esforços estão concentrados nas medidas de enfrentamento ao novo Coronavírus, ou seja, medidas para salvar vidas.  

Doutor Lapena é ex-vereador e pré-candidato a prefeito de Araraquara (Foto: Reprodução Redes Sociais)


Luis Claudio Lapena Barreto, Doutor Lapena, pré-candidato pelo Patriota
Na minha opinião as eleições devem ocorrer no período programado se tudo estiver sob controle. Se nós estivermos ainda com pandemia, estado de calamidade pública, um nível de contagiosidade enorme, talvez seja imprudente aglomerarmos as pessoas para fazer um processo eleitoral. Então na minha opinião, se a situação estiver sob controle, as pessoas podendo sair de máscara, eleição na data programada. Catástrofe, que ela seja postergada.  

Pedro Bapstitini foi vereador e é presidente do PDT Araraquara. (Foto: Divulgação/Câmara)


Pedro Baptistini, pré-candidato pelo PDT
A questão do adiamento das eleições previstas para outubro do corrente ano sem a prorrogação dos mandatos já estava sendo debatido dentro do partido, o PDT, pois a boa norma sanitária deve ser seguida, prevalecendo a ciência e a medicina. Seria praticamente impossível realizar as convenções e a campanha com o espectro da covid-19 rondando os candidatos e à população. O mais provável é que as eleições aconteçam dezembro. A vida em primeiro lugar.  

Rodrigo Ribeiro, Movimento Conservador e pré-candidato pelo PRTB. (Foto: Walter Strozzi/ACidade ON)


Rodrigo Ribeiro, pré-candidato pelo PRTB
Meu entendimento vai de encontro ao do ministro Barroso, em ser contrário ao adiamento das eleições. Os dois principais motivos que encontro é porque hoje mudou a forma de fazer política, estamos vivendo uma era das redes sociais e o que vai determinar uma vitória de candidatos para o legislativo ou executivo é a presença dessa pessoa e o reconhecimento da sociedade enquanto formadora de opinião nas redes sociais que é hoje um meio onde a maioria busca informação. Inclusive cobrança dos parlamentares, caso sejam eleitos. E segundo, porque é possível mesmo que em outubro ainda haja um cenário de pandemia realizar políticas, medidas sanitárias capazes de manter uma segurança para os eleitores, seja adotando distanciamento social, uso de máscara, álcool em gel, acredito que não há porque adiar as eleições esse ano e se manter o calendário a gente acaba não prejudicando muitos projetos que estão sendo organizados pelos partidos políticos e candidatos desde o ano passado.

Mais do ACidade ON