Aguarde...

Política

'Vou ser voz para quem precisar na Câmara', afirma Luna Meyer

Causa animal, direitos das Mulheres e dos servidores serão pautas da vereadora do PDT

| ACidadeON/Araraquara

Luna Meyer propõe defesa da causa animal, direitos das mulheres e servidores (Foto: Rede Social)
 

Causa animal, direitos das Mulheres e dos servidores municipais serão pautas da vereadora Luna Meyer (PDT).  

Eleita com 1.264 votos para cumprir seu primeiro mandato, a parlamentar, de 40 anos, afirma que será "voz para quem precisar" na Câmara Municipal.  

Publicitária, Luna também atua como defensora da causa animal na cidade. Questionada sobre o posicionamento político na Casa, a vereadora promete ser independente.  

Luna Meyer é a sexta entrevistada, de 18 vereadores que responderão aos mesmos questionamentos. As entrevistas serão publicadas de segunda a sexta-feira.  

A ordem das publicações segue a votação recebida por cada um dos parlamentares nas urnas.   

Luna Meyer obteve 1.264 votos para cumprir o primeiro mandato como vereadora (Foto: Divulgação/Câmara)

Confira a íntegra da entrevista com a vereadora Luna Meyer:

ACidade ON: Na sua avaliação, qual deve ser o papel do Legislativo?  

Luna Meyer: O papel do Legislativo para mim tem que ser como intermediador do diálogo entre Executivo e população. Os vereadores são representantes de parcelas específicas da população, então eles têm que levar essas demandas ao Executivo, tentar traduzir isso em projetos de leis e acima de tudo atuar na fiscalização. Mas sempre com muita consistência, procurando ouvir os dois lados e tentando ser o fator determinante dessa equação.  

ACidade ON: No que se identifica e porque está em seu partido?  

Luna Meyer: O PDT, meu partido, zela muito pelo trabalhador e pela educação, que são pautas fundamentais. Acredito que a educação transforma o mundo e é um partido que tem bastante conectividade com as questões ambientais, animais, pois todas as cidades governadas pelo PDT costumam ter bastante entrosamento com essas pautas, que são coisas que defendo. Escolhi por isso, por ser um partido que traduz bastante minha visão política, mas uma política acima de tudo equilibrada, que saiba ouvir ambos os lados. Sem extremismo, lutando acima de tudo pela população e o que é certo.  

ACidade ON: Quais serão suas bandeiras neste mandato?  

Luna Meyer: Obviamente a causa animal, que foi o movimento que me elegeu. Porque já tinha muita atuação neste aspecto e as pessoas acabaram confiando em mim para estar representando essa pauta lá dentro. O direito das mulheres, que como mulher sei e sinto na pele, também os direitos dos servidores municipais, que precisam de uma voz lá dentro. Mas na realidade já deixei bem claro que vou ser voz para quem precisar, basta que as pessoas desses grupos e nichos específicos me procurem e expliquem suas demandas e vai ser um prazer estar representando. Por exemplo, já fui procurada pela Associação dos Autistas, pelas Mães Guerreiras, vou marcar uma reunião com a União dos Deficientes Físicos de Araraquara (UDEFA), com as polícias, pois acho importante a gente entender o maior número de demandas das camadas mais diversas possíveis da população, pois assim a gente consegue realmente fazer uma representação democrática, acima de tudo com empatia e respeito a cada recorte da sociedade.  

ACidade ON: O ano de 2021 ainda deve sofrer os impactos da pandemia, com filas na saúde e crescimento do desemprego e empobrecimento da população. Na sua avaliação, como a Câmara pode contribuir para amenizar estes impactos?

Luna Meyer: Com certeza a Câmara não só pode como deve contribuir para estar intermediando as demandas da população nessa situação tão delicada que é a pandemia. Uma situação de muita incerteza, insegurança onde percebo que as pessoas ficam com muito medo do que vai ser decretado amanhã e acho que o vereador entendendo e tendo um contato mais intenso com o Executivo, com as leis como um todo deve ser o porta-voz que traz tranquilidade, informação de qualidade para essa população e também pensar em projetos e iniciativas que tragam amparo para situações mais problemáticas como a geração de emprego nesse contexto, a assistência social, a fiscalização do andamento da saúde, dentre outras questões.  

ACidade ON: Na última legislatura 82% das leis de autoria dos vereadores foram para dar nome a próprios públicos e promover inclusões no calendário de eventos do município. Qual sua opinião sobre isso e acredita ser possível mudar essa realidade? Se sim, como?

Luna Meyer: Essa questão dos projetos de data e nome de rua foi uma coisa que falei bastante na minha campanha. Inclusive brincava dizendo que 82% dos meus projetos seriam úteis para a população e 18% nome de rua e data. É irônico, mas eu tenho algumas ideias de data, semanas de conscientização relativas a algumas pautas. Desde que seja feito com qualidade, tem a sua função. Mas pesquisei projetos de outras cidades e percebi que esse fenômeno [maioria nomes e dias] acontece só aqui. E isso pra mim denota que a antiga Câmara - talvez por ter vereadores que estavam a muitas gestões -, ficaram extremamente acomodados, simplesmente faziam indicações de coisas triviais e realmente pararam de pensar em projetos que melhorassem a vida da população. E se você conversar e procurar existe muitos projetos legais e a população tem muitas demandas e como falei, nós precisamos tentar traduzir essas demandas para o Executivo e isso acontece através dos projetos de lei. Então é muito importante a gente ouvir o maior número possível de pessoas para entender o que elas precisam. Tentar trazer ideias criativas, que realmente melhorem a vida dessas pessoas.  

ACidade ON: Como deve se posicionar na Casa de Leis? Será base governista, oposição ou terá uma postura independente e por quê?  

Luna Meyer: Até então os dois momentos que tive participação adotei postura totalmente independente. A primeira foi na eleição da mesa diretora da Câmara, a qual eu discordei, pois sabia que ela estava vindo de um combinado prévio que não concordava e não senti confiança em um primeiro momento. Então fui contra. Mas aí, já na segunda sessão, quando foi votado o projeto de reforma das secretarias eu fui a favor, porque se aquele projeto fosse adiado a cidade ficaria parada e nós não teríamos como despachar as coisas. Então visto que o projeto não gerava impacto nos gastos do município, nem um novo cabide de emprego, até porque não tem como gerar um novo cabide de emprego e onere o município, pois existe uma lei federal que impede isso, votei pra que o projeto fosse aprovado e as leis complementares a gente vai fazendo com o passar do tempo. Mas não podemos permitir que a cidade fique parada, que as secretarias fiquem estagnadas, porque aí não trabalham os secretários, os vereadores, então essa reforma realmente precisava acontecer para adequar a cidade aos moldes da situação que nós estamos vivendo e infelizmente não dava pra esperar. Tem projetos e momentos que dá pra esperar, mas esse, em especial, a gente estava no começo do ano, então votei a favor da Prefeitura. Pretendo ser sempre assim, votar naquilo que for melhor para a população e mais coerente.  

CURIOSIDADES SOBRE A VEREADORA:
Ídolo:
Bete Câmara, que é uma protetora aqui de Araraquara, falecida em 2010, fundadora da ONG Bichos e Caprichos, que tinha como lema "Não esperar o socorro e ser o socorro". Essa mulher representa toda a luta animal aqui na cidade e em outros lugares, por isso tenho imensa admiração por ela, é uma inspiração;  

Inspiração política: Com certeza Mariele Franco, porque embora insistam em pintar ela como uma figura de ultra esquerda, ela era muito ponderada, defendia policiais, lutava por Justiça para todos, independente de classe e nicho. Infelizmente acabou sendo assassinada por isso, mas ela, com certeza, é uma inspiração e uma motivação para que a gente continue lutando contra o que é errado e imoral dentro da política;  

Time do coração: meu time é o São Paulo, mas não acompanho muito futebol. Mas sou são-paulina, com certeza.  

Livro de cabeceira: Meu livro favorito, com certeza, é a epopeia japonesa chamada Musashi, do autor Eiji Yoshikawa;  

Estilo musical: gosto de muitos estilos, mas com certeza, segundo as estatísticas do Spotify, é rock;  

Em apenas uma palavra, no seu mandato na Câmara não pode faltar? Transparência. 


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON