Publicidade

politica

Audiência debate tarifar conta de água em apoio a Santa Casa

Apoio financeiro ao hospital seria entre 3 e 5% do valor das contas dos consumidores

| ACidadeON/Araraquara -

Audiência pública ocorreu, nesta sexta-feira (10), na Câmara (Foto: Divulgação)
 

A tarifação na conta de água para socorro financeiro à Santa Casa de Araraquara foi debatida, nesta sexta-feira (10), durante audiência pública realizada na Câmara Municipal. 

O encontro, chamado pelos vereadores Aluísio Braz, o Boi (MDB), Lucas Grecco (PSL), Luna Meyer (PDT) e Marchese da Rádio (Patriota), reuniu políticos, gestores e população. 

Nos bastidores, vereadores discutem criar uma tarifação de 3 a 5% do valor gasto com a conta de água - exceto para pessoas de baixa renda -, visando contribuir com o hospital. 

A proposta é que a contribuição seja "compulsória" e o contribuinte que discordar deve procurar o Departamento Autônomo de Água e Esgotos (DAAE) para pedir a retirada.   

ASSISTA A AUDIÊNCIA PÚBLICA REALIZADA NESTA SEXTA-FEIRA (10):


PANORAMA DAS CONTAS
Durante sua participação no encontro, o diretor-geral da Santa Casa, Rogério Bartkevicius explicou sobre a atuação do hospital e apresentou panorama das receitas e despesas. 

Somente no ano passado, segundo o diretor-geral, o hospital registrou déficit de R$ 7,1 milhões como consequência dos aumentos de medicamentos e atendimento à covid-19. 

"Infelizmente nossa despesa ultrapassou aquilo que era esperado para o ano, sendo que acumulamos um déficit", lamentou Bartkevicius. 

Para este ano, o responsável pela Santa Casa afirmou que há estimativa de novo déficit de aproximadamente R$ 5 milhões, podendo chegar até R$ 12 milhões deficitários. 

"A Santa Casa já tomou esse mês no banco R$ 12 milhões emprestados para cumprir com suas obrigações, pagar funcionários, médicos e fornecedores", apresentou. 

"Há seis meses tomamos no banco R$ 8 milhões para os mesmos pagamentos e isso não tem mais condição de acontecer", completou Bartkevicius.  

Santa Casa Araraquara é referência para atendimento SUS na região (Foto: Amanda Rocha)

O diretor-geral da Santa Casa pediu o apoio da população com o momento vivido pela instituição. 

"O que eu como cidadão posso fazer para contribuir com o principal equipamento de saúde da cidade, que passa por situação complexa, mas sempre cumpriu seu papel sem deixar de atender um paciente sequer?", questionou. 

A secretária da Saúde, Eliana Honain, defendeu a Santa Casa como parceira prioritária do sistema público do município.
Ela também apontou que enquanto a demanda por internações crescem, a tabela de serviços paga pelo SUS está defasada. 

"Temos hoje uma tabela de procedimentos SUS totalmente defasados, sem previsão de aumento, uma demanda cada vez mais crescente na alta complexidade, que é onde ela atua não só para Araraquara, mas na região, e não temos possibilidade de aumento do teto", disse. 

"O município tem um déficit em torno de R$ 800 mil mês e quase metade dele é da Santa Casa. Quando temos condições fazemos esses acertos, fizemos em 2018 e 2019, estamos fechando de 2020 e quando recebemos emendas parlamentares a priorizamos", completou. 

O QUE DIZ O DAAE?
Durante participação na audiência pública, o superintendente do DAAE, Donizete Simioni explicou que a conta de água hoje apresenta cobrança de três serviços: água, esgoto e tarifa de resíduos sólidos. Segundo ele, a autarquia fatura em torno de R$ 12 a 13 milhões. 

Sobre a proposta apresentada no legislativo, o responsável pelo departamento se comprometeu a "alavancar" e contribuir para sua aplicação. Em sua avaliação, o DAAE pode ser intermediário do socorro financeiro para a Santa Casa. 

"Reconhecidamente na cidade de Araraquara é uma das instituições mais respeitadas e a única que podemos contar no sistema SUS. Esses recursos não serão do DAAE, que vai captar e o projeto tem que mostrar isso, para ser transferido ao Fundo Municipal de Saúde", apontou. 

DISCORDOU
Entre os diferentes apontamentos feitos durante a audiência pública, apenas o vereador Edson Hel (Cidadania), demonstrou preocupação com a cobrança ser automática e o contribuinte precisar solicitar sua retirada da conta ao DAAE. 

"Particularmente acho que quem quiser contribuir com a Santa Casa espontaneamente que vá ao DAAE e peça para colocar na conta de água, porque se colocar para todo mundo, imagine o transtorno que vai ocorrer na cidade com as pessoas que não concordarem", defendeu.

Mais notícias


Publicidade