Aguarde...

Esse ano votaremos nos

Eleições

Araraquara dobra número de mulheres na Câmara para 2021

Quatro vereadoras foram eleitas para trabalhar no legislativo; atualmente são duas mulheres na Câmara

| ACidadeON/Araraquara

Quatro mulheres estarão no legislativo de Araraquara em 2021 (Foto: ACIdadeON)
 
Araraquara terá o dobro de mulheres na Câmara para a 18º legislatura que começa em 2021. Os araraquarenses escolheram quatro mulheres para ocuparem o cargo de vereadoras, que juntas somaram mais de cinco mil votos.

Araraquara terá Thainará Faria (PT), Filipa Brunelli (PT), Luna Meyer (PDT) e Fabiana Virgílio (PT) a partir do ano que vem.  

Neste mandato que termina em dezembro, duas mulheres estão no legislativo, Thainará Faria (PT) e Juliana Damus (PP).

Juliana Damus tentou reeleição e não conseguiu. Ela está no Legislativo há 20 anos. 

Tainará foi a vereadora mais votada este ano, com 1.838 votos.  

Luna Meyer, Filipa Brunelli e Fabiana Virgílio entram na Câmara pela primeira vez.  

Vereadoras que passaram pela Câmara de Araraquara (Foto: Reprodução)
 
ENTRARAM PARA A HISTÓRIA  
Araraquara teve até a legislatura que termina em dezembro de 2020, dez vereadoras mulheres.  

A primeira vereadora em Araraquara foi Olinda Montanari, que entrou na 3º legislatura. 

Deodata Amaral entrou para a história como vereadora mais votada de Araraquara com mais de quatro mil votos. 

Edna Martins foi a primeira mulher a presidir a Câmara. 

Juliana Damus, que sai agora em dezembro, será a que por mais tempo ficou no legislativo.  

Thainará Faria foi a primeira mulher negra a ser vereadora de Araraquara. 

Já Filipa Brunelli é a primeira mulher trans a ocupar um cargo de vereança.

"Se observarmos em retrospecto veremos que há líderes mulheres muito interessantes na história do Legislativo araraquarense. A ex-vereadora Deodata do Amaral figura na galeria do parlamento como a vereadora mais votada na história das eleições municipais com mais de quatro mil votos no pleito de 2000. Já a parlamentar Edna Martins, que não conseguiu se eleger nesse pleito, já foi a vereadora mais votada na cidade e primeira mulher a presidir o Legislativo na história do município, em 2007", diz o cientista político Bruno Silva.  

ANÁLISE
Bruno Silva diz que ainda que tenha crescido o número de mulheres na Câmara, a representação ainda é pequena quando comparado com a presença de homens, ainda mais quando se leva em conta que as araraquarenses são em maior número populacional.  

"Em Araraquara teremos quatro mulheres no parlamento, sendo que os eleitores elegeram a primeira vereadora transexual da câmara, Felipa Brunelli. No entanto, embora tenha ocorrido importante avança na representação das mulheres - que são maioria do eleitorado no Brasil - ainda assim os resultados a nível nacional deixam a desejar", diz ele.  

Ele reforça que pouco se avançou no que diz respeito ao espaço das mulheres na política. "Em todo Brasil, teve um aumento de cerca de 3% na representação feminina dentre as mais de 57 mil cadeiras de vereadores disputadas quando observamos os dados de 2020 (cerca de 16% do total de vereadores) em relação à 2016 (cerca de 13% do total de vereadores). Mesmo sendo as primeiras eleições sob a nova regra de financiamento de campanhas, a qual estabelece que ao menos 30% dos recursos dos partidos seja direcionados às campanhas das mulheres, avançamos muito pouco na representação feminina. Já passou da hora de partidos oferecerem mais espaços para as mulheres, entenderem suas especificidades e incentivarem a participação política", diz ele.

Veja a lista de mulheres que já estiveram na Câmara de Araraquara
Olinda Montanari - 3ª Legislatura
Deodata do Amaral - 9ª, 10ª, 11ª e 13ª Legislatura
Helenita Turci - 11ª, 12ª e 13ª Legislatura
Vera Botta - 11ª e 13ª Legislatura
Edna Martins - 13ª, 14ª e 16ª Legislatura
Juliana Damus - 13ª, 14ª, 15ª, 16ª e 17ª Legislatura
Marcia Lia -15ª Legislatura
Gabriela Palombo - 16ª Legislatura
Geani Trevisoli - 16ª Legislatura
Thainara Faria - 17ª Legislatura

Mais do ACidade ON