Aguarde...

auto-on

Dupla brasileira confirma favoritismo e vence a primeira etapa

Campeão de 2018, piloto Reinaldo Varela e o navegador Maykel Justo tiveram pneu furado com apenas 10km de prova

| Auto ON

UTV da dupla brasileira Reinaldo Varela/Maykel Justo, da equipe Monster Energy Can-Am
  

Oficialmente neste domingo (03.01.21) começou o mais difícil rally do mundo, o Rally Dakar. A competição vai percorrer um total de 7.646 quilômetros até o dia 15 de janeiro, dentro do território da Arábia Saudita, com muitas dunas do deserto, cordilheiras, cânions e trechos rochosos.  Como já estava previsto, deverá ter muitas rivalidades, mas dupla Reinaldo Varela/Maykel Justo está entre as favoritas. Nesta primeira etapa, a dupla brasileira venceu na categoria UTV, completandoos 277 km de especiais trechos cronometrados em alta velocidade com apenas 28 segundos de vantagem para a dupla segunda colocada, o norte-americano Austin Jones e o brasileiro Gustavo Gugelmin. Os vencedores, no entanto, tiveram sérias dificuldades para alcançar a vitória.  

"Em um trecho rochoso pegamos uma pedra que rasgou o pneu traseiro direito e nos obrigou a parar com apenas 10km de corrida. Fizemos a troca bem rápido, mas enquanto isso vimos o pessoal nos ultrapassando. Foi um sufoco, não estávamos acreditando no que estava acontecendo", conta Varela. "Depois, tivemos que manter a calma e ir passando o pessoal um a um, sempre com cuidado para não furar outro pneu. O Dakar, aqui na Arábia Saudita, tem essa característica, de destruir pneus nos trechos rochosos. Que bom que conseguimos superar isso", completa o piloto, que compete pela equipe Monster Energy Can-Am.  

"Outro ponto importante: eu e o Maykel estamos estreando nossa parceria e acho que não poderíamos ter um teste e um resultado melhor do que os de hoje. Ele está de parabéns pelo trabalho que fez e a nossa equipe está orgulhosa do que alcançamos aqui", concluiu o piloto, que corre pela primeira com navegação de Maykel Justo.

Deserto puro  

O trajeto total deste domingo, contando os deslocamentos, foi composto de 622km em estradas de terra e areia, rumo ao interior saudita. Largando dos arredores de Jedá, maior cidade portuária do país, a caravana do Dakar chegou a Bisha, na beira de uma região mais desértica. Amanhã, a partir dali, a corrida segue para Wadi Ad-Dawasir, no centro-sul da Arábia Saudita.  

"Já estamos às portas do deserto puro. Amanhã vamos encarar as primeiras dunas. Um dos destaque é um trecho de 30km formado somente por dunas, com saltos e descidas intermináveis. Vai ser um teste de resistência", conta Maykel Justo. "Depois disso, teremos um longo trecho de nada mais do que areia para todos os lados, uma vastidão, que é o que assusta quando se está no deserto", pontua o navegador da equipe Monster Energy Can Am. O clima a partir de amanhã passa a ser típico do deserto. Em Wadi Ad-Dawasir, o calor pode atingir 54oC no verão e chegar a -2oC durante a noite no inverno, atual estação na Arábia Saudita. "Mesmo assim, o calor chega a 35oC ao meio dia nessa época do ano, horário em que estaremos no meio da trilha", avisa Reinaldo Varela.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON