Aguarde...
Auto ON

auto-on

Pandemia envelhece ainda mais a desgastada frota brasileira

Pandemia e crise financeira aumentam o período da troca dos automóveis e caminhões e deixam a frota mais antiga

| Auto ON

  

A pandemia deixa ainda mais velha a frota nacional
A Covid-19 afetou diretamente o crescimento no número de veículos circulando no Brasil. As recomendações de isolamento social e fechamento dos comércios restringiram os volumes de produção e vendas de novos veículos. Segundo os estudos do Sindipeças - Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores, em 2020 a frota brasileira cresceu menos de 1% em comparação ao ano anterior e a idade média atingiu dez anos. De acordo com a Anfavea - Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, a produção de veículos novos encolheu 31,6% e o licenciamento total em 26,2%.

Esse resultado demonstra que o envelhecimento traz também riscos de mais acidentes e defeitos, caso não ocorram as manutenções adequadas. Com isso, os profissionais reparadores precisam estar atentos a uma possível mudança na busca por manutenção nas oficinas.

"O envelhecimento da frota reforça um aumento na procura por serviços, pois muitos clientes vão deixar de comprar um novo automóvel e terão que mantê-lo em bom estado", destaca Leandro Vanni, gerente de Treinamento e Desenvolvimento do Maxxi Training. 
 
Mercado nacional está com a frota mais velha
E para atender com qualidade a essa nova demanda por serviços é necessário buscar novos conhecimentos e atualização profissional.

"A capacitação é fundamental para atender um público cada vez mais exigente, além de conhecer tecnicamente uma gama cada vez maior de veículos e motores que chegam às oficinas", complementa Leandro.

Mas, a atualização técnica não é suficiente. O gerente destaca ainda que é importante saber atender bem ao cliente, oferecer um atendimento com transparência, qualidade e respeito para gerar também a fidelização. É preciso cuidado na hora de escolher um curso de aprimoramento. Segundo Leandro, é importante priorizar instituições que possuem uma sólida relação com fabricantes de autopeças, pois garantem informação correta alinhada com o responsável pela produção do componente.