Aguarde...

auto-on

Ao sul do Mercosul

Tome nota

| Auto ON

por Luiz Humberto Monteiro Pereira
AutoMotrix


Ao sul do Mercosul  

Frota de ônibus BYD da CUTCSA, de Montevideo: divulgação
A fabricante chinesa BYD acaba de entregar uma frota de vinte unidades de ônibus elétricos BYD de 12 metros à CUTCSA, o maior operador de transporte público urbano do Uruguai. Os ônibus da BYD serviram de base para a substituição de unidades dentro do Programa MOVES (Programa Nacional de Mobilidade Urbana Sustentável e Eficiente), que busca trocar gradualmente os ônibus tradicionais movidos a diesel por elétricos. A BYD continua a expandir suas operações na América Latina. Seus veículos 100% elétricos estão operando com sucesso em muitos países da região, incluindo Chile, Colômbia, Argentina, Equador, Panamá e Brasil. No mercado brasileiro, a BYD abriu sua primeira fábrica em 2015 para produção de chassis de ônibus elétricos e comercialização de veículos e empilhadeiras em Campinas, interior de São Paulo. Em abril de 2017, inaugurou sua segunda fábrica, também em Campinas, para produção de módulos fotovoltaicos. Ainda em 2020, a BYD inaugurará sua terceira unidade fabril, em Manaus/AM, para a produção de baterias.

Esforço coletivo  

Fábrica da encarroçadora Marcopolo no Rio Grande do Sul: divulgação
A encarroçadora gaúcha de ônibus Marcopolo vem desenvolvendo, em conjunto com clientes e parceiros, opções focadas na prevenção da Covid-19. Nesse sentido, a Marcopolo Next, divisão da marca focada em inovação, apresentou diferentes soluções para proporcionar mais segurança e tranquilidade para quem precisa utilizar o transporte coletivo, como o FIP Onboard, para desinfecção do interior do ônibus, e o kit de proteção, sistema de divisórias que funciona como barreira de proteção para motoristas, cobradores e passageiros. A iniciativa coloca a Marcopolo ao lado das empresas operadoras de transporte e busca formas de proteger a sociedade da pandemia do coronavírus e de outros agentes biológicos nocivos à saúde e a segurança dos passageiros e motoristas.

Pacotes de ocasião  

kit de lubrificação de caminhão Volvo: divulgação
A Volvo criou pacotes de venda de peças em apoio a clientes durante período de restrição de mobilidade, por conta da pandemia da Covid-19. Segundo a marca sueca, que tem fábrica no Brasil na cidade de Curitiba (PR), os novos pacotes permitirão economia aos transportadores em um momento em que o fluxo de caixa é essencial. A opção de compra de peças em conjunto permite descontos que podem variar de 10% a 20%, conforme os componentes e a modalidade escolhida. São três opções: Light (com peças básicas para um determinado reparo), Max (inclui itens extras para consertos mais detalhados) e Top (conjunto maior de peças, para reparos mais completos). "São opções que permitirão aos clientes um planejamento antecipado, com custos mais acessíveis, para aumentar a disponibilidade dos veículos com o uso de peças genuínas. E, se instaladas nas concessionárias, contam com a garantia de dois anos", explica Carlos Banzzatto, gerente comercial de pós-venda da Volvo. Um kit básico de motor de um Volvo FH, por exemplo, fica 10% mais em conta no pacote Light do que na compra avulsa dos mesmos componentes. Os novos pacotes Light, Max e Top já estão disponíveis em todas as quase cem concessionárias Volvo e também no site de peças da marca www.volvopecas.com.br.

De sirene ligada  

furgão elétrico Nissan NV400 ambulância: divulgação
A Nissan e o Corpo de Bombeiros de Tóquio anunciaram uma nova aquisição à frota de ambulâncias do pelotão do distrito de Ikebukuro uma Nissan NV400, primeira ambulância elétrica japonesa. A chegada da primeira ambulância elétrica à frota do Corpo de Bombeiros de Tóquio faz parte da iniciativa Tóquio Zero Emissão. Graças à motorização elétrica, os níveis de vibração e ruído dentro do veículo são significativamente mais baixos em comparação com um veículo tradicional movido a gasolina. O motor tem potência máxima 75 cavalos e torque de 22,4 kgfm. O veículo elétrico conta com uma bateria de íons de lítio que produz 33 kW/h de energia e uma bateria adicional de 8 kW/h - permite alimentar os equipamentos elétricos e o sistema de ar-condicionado por longos períodos. A ambulância também pode ser convertida em uma fonte de energia móvel, em caso de apagão ou desastre natural.

Mais do ACidade ON