Aguarde...

auto-on

Nova geração do Peugeot 208: filhotes de leão

Nova geração do Peugeot 208 deve desembarcar no Brasil em setembro, com a chegada da versão elétrica prevista para 2021

| Auto ON

  
por Daniel Dias  
AutoMotrix 

Principal lançamento do Grupo PSA no Mercosul em 2020, o novo Peugeot 208 deveria ter desembarcado no mercado brasileiro no primeiro semestre deste ano. Mas aí veio a Covid-19 e o consequente isolamento social imposto pelas autoridades políticas e médicas. Então, a nova geração do compacto, que foi sucesso de vendas desde sua primeira versão, deve desembarcar no país só a partir setembro. Virá para o Brasil inclusive a configuração elétrica do modelo francês, com desembarque previsto para 2021. Entre as inovações do 208 está o i-Cockpit 3D, com destaque para as telas do painel equipadas com exclusiva tecnologia holográfica, em três dimensões, para que algumas informações sobre a condução do veículo sejam projetadas em destaque à frente do visor principal. O painel ainda conta com cinco modos de visualização, sendo dois deles completamente personalizáveis de acordo com a preferência do condutor. Em linha com o direcionamento mundial da marca, a "Unboring The Future", a Peugeot traz ao Brasil a expressão máxima de sua visão em design, tecnologia e experiência de condução com o novo 208. O carro inaugura no país sua próxima geração de produtos e estreará soluções tecnológicas inéditas.  

O i-Cockpit 3D é a reinterpretação da posição de condução de acordo com a "Marca do Leão". Sempre partindo do conforto e da ergonomia como premissa, pode-se descrever o dispositivo em quatro componentes principais: o volante pequeno, para otimizar a manobrabilidade, o painel de instrumentos elevado contribuindo para o conforto e a segurança do motorista, pois evita desviar significativamente a visão da estrada, a tela "touchscreen" na ponta dos dedos e na linha de visão do sujeito instalado atrás da direção e uma série de teclas de alternância que permitem acesso direto às principais funções do veículo.  

Com as portas fechadas desde 20 de março devido à pandemia do coronavírus, a fábrica do Grupo PSA em El Palomar, na Argentina, finalmente voltou a operar. Com isso, o novo 208 está previsto para ser lançado em agosto no país do Prata. O hatch compacto estará na linha de montagem argentina ao lado dos Peugeot 308, 408 e Partner e dos Citroën C4 Lounge e Berlingo. A estreia no Brasil acontecerá no segundo semestre deste ano. Mesmo com a parada por causa da Covid-19, várias unidades do novo 208 já haviam sido montadas na Argentina, para testes de desenvolvimento e rodando camuflados ou não por aquele país, em diversas configurações, desde a de entrada até a esportiva GT Line. A nova geração do 208 será exportada para o Brasil logo após seu lançamento na Argentina, enquanto a fábrica de Porto Real (RJ) será utilizada para os modelos da Citroën, tanto que o antigo 208 já encerrou sua produção no Estado fluminense. Também está previsto para aquela unidade industrial um novo SUV compacto da Peugeot.  

Inicialmente, será vendida no Brasil apenas a versão empurrada pelo motor 1.6 aspirado de 118 cavalos, um antigo conhecido da PSA no país, em quatro configurações: Like, Active, Allure e Griffe, com opção de câmbio manual de 5 marchas ou automático de 6 velocidades. O 1.2 aspirado de três cilindros, com 90 cavalos de potência e torque de 13 kgfm abastecido com etanol, que movia o 208 feito em Porto Real, era importado, ficando complicado para a fabricante oferecer uma versão de entrada com preço competitivo com essa motorização. O mesmo problema atinge o 1.2 turbo Puretech a maior novidade do carro na Europa com até 130 cavalos, que chegará em um segundo momento na versão topo de gama GT Line. Um caminho para driblar essa dificuldade seria a Peugeot começar a produzir esse motor no Brasil.  

Por fim, a versão 100% elétrica, a e-208, está confirmada para estar no catálogo da marca em território nacional mas só a partir do próximo ano, importada da França. O motor elétrico e-208 é montado no eixo dianteiro e é produzido na fábrica da cidade francesa de Tremy, onde são feitas cerca de 120 mil unidades por ano para atender ao compacto da Peugeot, ao DS3 Crossback e-tense e ao Opel Corsa-e. O motor síncrono de ímã permanente desenvolve 136 cavalos de potência e 26,5 kgfm de torque instantâneo, girando até 14 mil rotações por minuto. Segundo a Peugeot, o e-208 acelera de zero a 100 km/h em 8,1 segundos e pode atingir a velocidade máxima de 150 km/h, limitada eletronicamente.  

Baseado em uma plataforma inédita, a e-CMP, o Peugeot 208 elétrico tem baterias localizadas sob o assoalho do carro, reduzindo o centro de gravidade e aumentando o prazer de dirigir. Uma bateria de íons de lítio de 50 kWh permite uma autonomia de 340 quilômetros com uma única carga no padrão WLTP. Com isso, o "Leãozinho" 100% "verde" tem uma autonomia de sobra para percorrer uma jornada diária urbana e enfrentar uma viagem não muito longa de fim de semana. O tempo de carregamento do e-208 varia de um máximo de dezesseis horas em uma tomada comum a até um mínimo de trinta minutos para ter 80% de carga conectada a uma estação de 100 kW. Existem ainda dois tipos diferentes de wallbox disponíveis: 7,4 kW monofásicos para oito horas completas e 11 kW trifásicos para cinco horas e quinze minutos de tempo de espera.  

A chegada do novo Peugeot 208 terá a função de reescrever a história do compacto francês no Brasil, prejudicada neste ano pela condição atípica vinda com a pandemia da Covid-19, que atrasou demais a descontinuidade da primeira geração do carro no país. No acumulado de janeiro a junho, o 208 teve apenas novecentas e dezessete unidades vendidas, com cento e setenta e cinco exemplares emplacados no mês passado.











Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON