Aguarde...

auto-on

BMW e Mercedes: briga de cachorro grande e no escuro

Enquanto a BMW ataca com o utilitário esportivo X7 Edition Dark Shadow, a Mercedes-AMG responde com o impressionante GT Black Series, um carro de competição nas ruas

| ACidade ON

por Daniel Dias
AutoMotrix
 



A tendência de versões com detalhes em preto ou totalmente enegrecidas como o caso de alguns modelos oferecidos pela Chevrolet no Brasil vai e volta na indústria automotiva. Agora é a vez de duas gigantes, igualmente alemães, de travarem uma queda de braço. Enquanto a BMW ataca com o X7 Edition Dark Shadow, a divisão esportiva da Mercedes-Benz, a AMG, responde com a GT Black Series. Embora não sejam concorrentes diretos, são duas opções da melhor espécie para quem gosta de se "vestir" de preto e sair por aí, com muito estilo. Como as fabricantes adoram denominações por vezes estranhas para classificarem seus carros, o X7 Edition Dark Shadow é, para a BMW, um SAV (veículo de atividade esportiva), como se isso significasse alguma coisa. Como sugere o "sobrenome" do carro, o X7 especial não é propriamente um veículo totalmente preto como não é o respectivo exemplar da Mercedes-AMG mas conta sim com um acabamento especial de pintura BMW Individual em metal cinza ártico congelado. Essa variante particularmente sofisticada e de alta qualidade do acabamento da carroceria é usada pela primeira vez em um modelo da Série X. Entretanto, os dois carros estão incluídos no rol de pintura e de acabamento em "noir".  

Os detalhes precisamente coordenados do design e recursos para carroceria e o interior dão ao X7 o status de um item de colecionador. O Edition Dark Shadow será produzido na fábrica da BMW em Spartanburg, nos Estados Unidos, a partir de agosto deste ano em uma edição limitada de cerca de quinhentas unidades. O modelo estará disponível em todo o mundo e poderá ser combinado com todos os motores oferecidos para o X7. O acabamento de pintura do Edition Dark Shadow é complementado com a linha BMW Individual High Gloss Shadow, incluindo recursos estendidos. Isso significa que, além da janela lateral, as tampas das colunas "B" e "C" e as bases dos espelhos externos, um acabamento cromado preto é destaque na estrutura e nas barras da grade de "duplo rim" da BMW, dos respiradores de ar e do tubo de escape. Segundo a marca alemã, isso cria um contraste sutil com as superfícies corporais cintilantes e foscas, também enfatizadas pela linha de sombra de alto brilho para trilhos de teto individuais e pelos vidros com proteção solar. O caráter dinâmico do SAV é enfatizado pelos elementos de carroceria do pacote esportivo M. Outra característica exclusiva são as rodas de liga leve M de 22 polegadas em design de raio V com acabamento fosco Jet Black e equipado com pneus mistos. O desempenho superior do motor é acompanhado pelo som do sistema de escapamento esportivo M.  

Uma combinação de estilo e ambiente luxuoso caracteriza o interior do modelo de edição, disponível com seis ou sete lugares. Resumindo, trata-se de um SUV. O motorista e o passageiro da frente desfrutam de assentos confortáveis eletricamente ajustáveis com função de memória. Um volante em couro M e os detalhes do equipamento BMW Individual especialmente desenvolvidos para o X7 Edition Dark Shadow têm um alto nível de exclusividade, contribuindo para isso o estofamento completo de couro BMW Individual Merino na variante específica de dois tons Night Blue/Black com costuras contrastantes, assim como o forro de teto em Night Blue com acabamento em Alcântara, como a parte superior do painel de instrumentos e os apoios de braços das portas. O couro merino preto é usado na seção inferior do painel de instrumentos e nos encostos dianteiros. Na área do console central, o design é destacado por meio dos acabamentos internos individuais e em Black Piano com o logotipo da edição.  

A produção do X7 se iniciou em 2018 na fábrica de Greer, na Carolina do Sul, Estados Unidos. Ao contrário do X5, ele não está disponível com tração traseira, mas com um sistema de tração nas quatro rodas (xDrive) para todas as versões. Na Europa, os motores a diesel e a gasolina estão disponíveis, enquanto a escolha é limitada aos motores a gasolina inline-6 e V8 nos Estados Unidos. A transmissão é sempre a automática de 8 velocidades.  

Apenas uma semana depois de sua estreia mundial, o novo Mercedes-AMG GT Black Series já pode ser adquirido a um preço inicial de 335.240 euros (pouco mais de R$ 2 milhões). Durante o desenvolvimento do novo modelo principal da família GT, os engenheiros de Affalterbach refizeram a maioria de suas ideias mecânicas e de conhecimento de design. Os resultados incluem o mais poderoso motor de produção AMG V8 de todos os tempos (730 cavalos), combinado a um design expressivo, aerodinâmica mais sofisticada, mistura de materiais mais inteligentes e dinâmica de direção mais emocionante. O superesportivo incorpora raízes tradicionais da marca esportiva alemã juntamente a um desenho externo derivado do "bólido" de competição AMG GT3. O acabamento especial da pintura com feixe de magma é reservado apenas para a série e pode ser encomendado como equipamento opcional para as outras configurações.  

O V8 twin-turbo de 4,0 litros produz tem torque de 81 kgfm, impulsionando, conforme a AMG, a GT Black Series de zero a 100 km/h em 3,2 segundos e a uma velocidade máxima de 325 km/h, todos, números de competição. Criando um ronco distinto devido a uma ordem de disparo alterada, os motores V8 de construção plana são mais frequentemente associados aos modelos da Ferrari, entretanto, já foram utilizados por empresas como a Lotus, a Porsche e a Ford no Mustang Shelby GT350. O motor da GT Black é acoplado a uma transmissão de dupla embreagem automática de 7 marchas, reforçada, localizada no eixo traseiro, ajudando na distribuição de peso, e conectada por meio de um tubo de torque de fibra de carbono pesando 40% menos que a versão de alumínio encontrada em outros modelos AMG GT.  

Externamente, os detalhes de pintura que caracterizam a versão GT Black estão em duas "línguas" negras no capô que se unem no teto do carro e na tampa do "porta-malas", no destacado aerofólio traseiro, nas rodas, nos dois para-choques e, naturalmente, na inconfundível grade Panamericana frontal. Dentro, o modelo é composto pois dois "cockpits" (embora o carona não tenha um volante), bancos de competição, porém, confortáveis ao sentar, direção esportiva com base reta e um completo sistema de infoentretenimento, tudo em tons negros e cinza.