Publicidade

Auto ON

Aceleramos (e muito!) o super esportivo Audi TT RS

O baixo peso, de 1.440 quilos, a suspensão esportiva e o motor de 400 cavalos garantem o status de super esportivo

| Auto ON -

 

Mais que estética, o aerofólio tem uma função importante na estabilidade
Lançado em 1998 na versão coupê e em 1999 na versão roadster, o Audi TT chegou dividindo opiniões sobre seu design. O motor 1,8 turbo, que desenvolvia 160 cavalos de potência, não o identificava como um verdadeiro esportivo.   

Hoje, na terceira geração, o TT é um modelo de sonho para a grande maioria dos apaixonados por automóveis. E na versão avaliada, a RS é sinal da esportividade levada ao extremo. As siglas "RS" indicam os modelos mais exclusivos e esportivos da Audi; a BMW usa a letra "M" de Motorsport e a Mercedes a nomenclatura AMG. Quando você se deparar com um modelo com essas letras, tenha a certeza que você está diante de um super automóvel.    
 
O Audi TT RS é um superesportivo com um design diferenciado
Com as cores agressivas e opacas que os esportivos estão usando hoje, o TT RS chama muito a atenção por onde passa. O modelo é muito agressivo e diferenciado.   

Logo ao abrir a porta, uma luz reflete no chão as letras RS, ou seja, avisa para o motorista que emoções estão por vir.  

O interior é realmente de um superesportivo (superesportivo? Você vai concordar comigo). Os bancos concha em couro invertido são elétricos, abraçam o motorista e passageiro de maneira segura, mas nem por isso desconfortável. Os dois bancos de trás são enfeite. Curiosamente, o porta-malas, levando em conta ser um esportivo, é razoável.    

O interior do Audi TT RS é completo e muito confortável
O volante do TT RS tem uma excelente empunhadura e o painel é em digital

Como bom esportivo, apenas o painel de instrumentos, uma tela de TFT configurável, na frente e mais tela nenhuma. Tudo está lá, inclusive o mapa.  

O volante, forrado com couro invertido, tem uma empunhadura maravilhosa e os controles básicos lá. E o botão, vermelho, mais importante: o que liga o bólido.   

Apertou e o ronco chega a arrepiar. É simplesmente fascinante. Aqui vale um alerta: não pense em chegar ou sair de "fininho", pois ligou o carro, o prédio ou o quarteirão vão saber que ali está um motorista feliz.  

Andando na cidade, o carro mesmo na condição confort é duro, mas não cansa. O TT é um dos poucos superesportivos em que o motorista consegue rodar no dia-a-dia sem ser desconfortável. Mas o TT RS não é para essa finalidade. O negócio é acelerar. E aí se revela um modelo surpreendente.   
 

O Audi TT RS é muito rápido e conta com uma estabilidade excelente
Ao pressionar o botão vermelho de "Start" na parte inferior do volante, o motor dianteiro ronca alto. Com cinco cilindros em linha, 2,5 litros, turbo, 20 válvulas, o motor do TT RS desenvolve 400 cavalos a 5.850 rpm e um excelente torque de 48,9 mkgf a 1.70 0 rpm.  

A tração é integral e a transmissão de dupla embreagem de sete velocidades. O modelo conta com a opção do modo arrancada. O conjunto, motor e câmbio, é muito competente.  

O TT RS vem com rodas de 19 polegadas e é calçado com pneus de perfil muito baixo, 245/35.  

Acelerar o TT RS é uma emoção e uma diversão. O modelo vai de 0 a 100 quilômetros por hora em apenas 3,7 segundos e atinge a velocidade máxima de 280 quilômetros por hora. Para se ter uma ideia do excelente desempenho do Audi TT RS, ele é apenas 0,1 segundo mais lento na aceleração que o superesportivo Mercedes AMG GT R, que custa várias vezes mais.   

No modo Dynamic, o mais esportivo, um dos três possíveis, a estabilidade é espetacular. É digna de qualquer superesportivo, ou até mesmo, de um modelo de competição. Lógico que, além do acerto da suspensão, a tração integral e os pneus, entra a eletrônica embarcada. E ele fica cada vez mais rápido. Pode acelerar que os freios garantem frenagens curtas e sem desvios. A sensação de segurança é maravilhosa, 
A aceleração é muito rápida, o TT RS acelera de 0 a 100 km/h em 3,7 segundos
Resumindo: o Audi TT RS encara de frente modelos mais potentes e muito mais caros. Por pouco mais de R$ 440 mil, o TT RS faz a alegria de qualquer consumidor que deseje um superesportivo com ótimo desempenho, excelente estabilidade e um design muito exclusivo. E ainda é econômico. Na cidade, andando tranquilamente, o RS fez 9,0 km/l e na estrada a 120 quilômetros por hora uma média de 13,5 km/l.

Mais notícias


Publicidade