Juíza destaca 'conduta perigosa' de Bruno Krupp, com 'resultado previsível' Juíza destaca 'conduta perigosa' de Bruno Krupp, com 'resultado previsível'

Juíza destaca 'conduta perigosa' de Bruno Krupp, com 'resultado previsível'

Juíza destaca 'conduta perigosa' de Bruno Krupp, com 'resultado previsível'

O modelo e influenciador Bruno Fernandes Moreira Krupp, de 25 anos, teve mandado de prisão preventiva expedido nesta quarta-feira (3) pela juíza Maria Izabel Pena Pieranti, do plantão judiciário. Krupp foi preso pela manhã em um hospital no Méier, na zona norte do Rio. No último sábado, dia 30, ele atropelou e matou um adolescente de 16 anos enquanto pilotava uma moto pela avenida Lúcio Costa, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Krupp pilotava a motocicleta mesmo sem ter habilitação.

Em sua decisão, a juíza Maria Izabel Pena destacou que 'mesmo tendo sido parado em uma blitz três dias antes, nas condições acima descritas (altíssima velocidade, com a moto sem placa, sem habilitação e, ainda, recusando-se a submeter-se ao exame do bafômetro), (Bruno) persistiu numa conduta assaz perigosa, cujo resultado era plenamente previsível, em uma via de muito movimento, quando a vítima atravessava na faixa de pedestres, imediatamente abaixo do semáforo'. Assim, ele irá responder por homicídio com dolo eventual.

No pedido de prisão feito à Justiça, a Polícia Civil informou que as investigações apontaram que, no momento do acidente, o modelo pilotava a moto a cerca de 150 km/h - a velocidade máxima naquela via é de 60 km/h. A polícia informou ainda que Bruno tem anotações criminais por estelionato e estupro.

O acidente aconteceu na noite de sábado, quando o modelo atropelou o estudante João Gabriel Cardim Guimarães, que atravessava uma faixa de pedestres ao lado da mãe na altura do posto 3, na Barra da Tijuca. Com o impacto, uma perna da vítima foi arrancada e lançada a cerca de 50 metros, segundo o registro da ocorrência. O adolescente foi levado ao hospital municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, e submetido a uma cirurgia, mas acabou morrendo.

Três dias antes do acidente, Bruno Fernandes Moreira Krupp fora parado em uma blitz da Lei Seca. Ele não portava habilitação, e a moto que pilotava - a mesma que provocaria o acidente no sábado - estava sem placa. Além disso, ele se recusou a fazer o teste do bafômetro. A motocicleta chegou a ser apreendida, mas foi retirada na mesma semana.

A reportagem tenta localizar a defesa de Krupp. O espaço está aberto para manifestações.

Mais Notícias

Mais Notícias