Aguarde...

Noticias

Secretária de Nova Odessa tenta furtar roupas da Zara no D. Pedro

Ela estava na loja, tentou fugir com cinco peças no valor de R$ 925 e acabou detida pela polícia

| ACidadeON Campinas

Secretaria Carol Moura foi liberada só depois de pagar fiança (Foto: Rede Social) 

A secretária de Desenvolvimento Econômico de Nova Odessa, Carol Moura, foi presa após furtar de cinco peças de roupas da Zara do Parque D. Pedro Shopping, em Campinas. O caso ocorreu no dia 17 de fevereiro e ela já pediu afastamento do cargo.

De acordo com o boletim de ocorrência, a secretária, após provar as cinco peças, que foram calculadas em R$ 925, saiu correndo levando as roupas.  Uma atendente da loja conseguiu alcançar Carol e ela voltou à loja. Devolveu duas peças e tentou fugir novamente com as outras três. Neste momento, a PM (Polícia Militar) foi acionada e a secretária levada para a delegacia.

Ela passou uma noite presa e foi liberada no dia seguinte, após pagar uma fiança de R$ 998.

OUTRO LADO


o advogado que representa a secretária no processo, Bittencourt de Oliveira Junior, contou que houve um mal entendido. De acordo com o defensor, enquanto Carol provava as peças, ouviu um aviso de que a loja e o shopping estavam fechando.

Ele afirmou que Carol saiu da loja com as roupas na mão para não ser trancada por dentro. Ela, de acordo com Junior, chegou a sacar o dinheiro para pagar a roupa, mas com a chegada da PM, o policial mandou que o dinheiro fosse devolvido e que todos seguissem para a delegacia.

A Prefeitura de Nova Odessa afirmou que foi surpreendida ao saber do caso somente às 15h30 desta segunda-feira (11) e por meio da imprensa. O prefeito chamou a secretária para uma conversa, mas também descobriu que ela havia pedido afastamento.

"Imediatamente, o prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza solicitou a presença da secretária em seu gabinete. Contudo, foi nesse momento também que o chefe do Poder Executivo tomou conhecimento que Carol Moura já havia apresentado, isso por volta de 12h30, um pedido de afastamento de suas atividades - pelo período mínimo de 30 dias - por motivos de saúde, e passava por cuidados médicos quando foi chamada ao gabinete", disse.

Mais do ACidade ON