Aguarde...

colunistas e blogs

Campanha ajuda famílias prejudicadas pelo coronavírus

Iniciativa é de protetores de animais, que têm recebido pedidos não só para pets; desemprego e crise pioram situação de carentes

| Especial para ACidade ON

Rosely é aposentada e trabalha como auxiliar de limpeza para complementar a renda, mas está afastada do emprego
Protetores de animais da região de Campinas não têm recebido só pedidos de ajuda para pets famintos. Estão recebendo agora também pedidos de chefes de família, cujas crianças estão passando fome.   

A crise gerada pelo Covid 19 e a ajuda prometida pelo governo (que é de R$ 600,00, menos que um salário mínimo por mês) deixa a geladeira das casas menos abastadas vazia.

Por conta disso, o Abrigo Adorável Vira-Lata Proteção e Amor está arrecadando mantimentos, cestas básicas, produtos de higiene e de limpeza - além de ração e medicamentos veterinários.  

Quer ajudar famílias como as do desempregado Daniel Vidotto, que tem quatro filhos.  

Vidotto mora Jardim Planalto, em Campinas, e está com o telhado com cerca de 20 gatos, que miam o tempo inteiro de fome. Não tem condições de alimentar os animais, porque não tem tido leite suficiente nem para as próprias crianças.  

No bairro Saltinho, em Campinas, pelo menos cinco famílias também estão passando necessidade.  

Os moradores são catadores de figo e estão desempregados. Um deles é Sônia Lima, que pediu ajuda pela internet.   
 
CAMPANHA

O protetor Guilherme Ferrari recebeu os pedidos e se compadeceu. "Se resgatamos e ajudamos animais, como poderíamos dar as costas para essas pessoas? Vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para ajudá-las, e isso inclui essa campanha de arrecadação de cestas básicas. Não podemos fazer quase nada sozinhos, mas unidos, podemos muita coisa. Se cada um ajudar um pouquinho, conseguiremos mantimentos pelo menos para as crianças".  
Ferrari encabeça a campanha, que conta com a ajuda de diversos protetores, entre os quais, Ana Iara Lima e Marisa Oliveira.  
Marisa, especificamente, está tentando ajudar a auxiliar de limpeza Rosely Aparecida Barbosa, que tem 64 anos e está afastada do trabalho.  

Rosely foi afastada sem salário e sem vale-refeição, e agora só tem a aposentadoria para sobreviver. Recebe R$ 750 mensais porque parte do benefício é descontado para pagar um empréstimo, que fez há anos justamente porque a renda dela, mesmo trabalhando, era insuficiente.   
 
Guilherme Ferrari encabeça campanha para ajudar famílias
Rosely é protetora de animais, e está agora com 45 cachorros e 25 gatos, que dependem dela para comer.  

"Tô apavorada. Só de ração, preciso de mil reais por mês. Como é que eu vou fazer?", pergunta.  "Não consigo doar cachorro adulto. Alguns dos meus resgatados já estão até velhos (de tanto esperar por uma adoção)".

Além de ração, Rosely precisa de medicamentos como amoxilina e cefalexina.

A aposentada vive para ajudar os animais. Mora no Jardim das Paineiras, em Hortolândia, mas, com as economias de uma vida, conseguiu montar um canil no Jardim Santa Rita, próximo a Monte Mor.  

"O que o pessoal puder me ajudar, eu agradeço. Tela grossa, telha. Preciso arrumar o canil. Há cinco anos fiz uma divisão com palit, mas eles já estão podres e caindo. O que vier de ajuda, eu agradeço", afirma.  

AJUDA 

Quem quiser ajudar com a campanha, deve entrar em contato pelos Whats:
(19) 9-9270-5779
(19) 9-9730-6229

Mais do ACidade ON