Aguarde...

ACidadeON Campinas

boa

COLUNA: Morre um gênio

Colunista Antônio Fraga comenta a morte do designer de automóveis Anísio Campos

| ACidadeON Campinas

No último sábado, dia 14, faleceu aos 86 anos o maior designer de automóveis do Brasil: Anísio Campos. Anísio nasceu em 6 de março de 1933, na cidade de São Paulo, e nos anos 1950 e 1960 participou de corridas de carro, junto com os principais pilotos do automobilismo nacional da época, como Luis Pereira Bueno, Chiquinho Lameirão, Bird Clemente, José Carlos Pace e Wilson e Emerson Fittipaldi. Aos poucos, largou o automobilismo e passou a desenhar e produzir carros de competição e de rua. Foram dezenas de projetos de muito sucesso e criatividade. Entres os destaques, estão o Puma, o mini Dacon 828, o Carcará (carro produzido para bater recorde de velocidade), e o Kadron, o primeiro buggy brasileiro.

Em 2014, a filha Raquel produziu um documentário, Homem-Carro, que contou a sua história e mostrou toda a sua genialidade e obra.

Alguns dos maiores sucessos:
1964 Puma GT DKW
1966 Carcará (réplica única com Paulo Trevisan)
1968 AC biposto de corrida
1970 Tropí
1974 AC monoposto Fórmula Super-Vê
Sem data Karmann-Ghia/Porsche, Equipe Dacon
Sem data Corcel Hatch, Souza Ramos
Sem data P.A.G. Dacon
1982 Dacon 828
1985 Escorpion Ergo Cabine
1985 Escorpion pick-up
1987 Topazzio
1988 Nickinho
1988 Nickão
1990 Chubby
2005 828/3 (protótipo único com Ricardo Machado)  



MAIS UMA

A empresa que faz os superesportivos mais rápidos de rua do planeta vai entrar na onda dos SUVs. Assim como fizeram Porsche, Alfa Romeo, Maserati e Lamborghini, a Bugatti entra no segmento com um SUV muito agressivo e rápido.
O novo Bugatti terá capacidade para até quatro passageiros e boas condições para andar no off road, se bem que não é essa a principal atração do modelo. O novo modelo terá motor à combustão e elétrico.  


PASSE DE OURO

O executivo de desenvolvimento de motores da BMW assumirá em 1º de abril de 2020 a presidência da Audi mundial. O contrato de Markus Duesmann, segundo informações, o impediam de se transferir para outra fabricante, mas segundo o jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung e a agência Reuters, a BMW concordou com uma rescisão amigável.  



MUITO LUXO

A Audi aproveitou a ArtRio, evento de arte no Rio de Janeiro, para fazer mais uma apresentação dos modelos A6 e A7 sportback.

"Os novos Audi A6 e A7 representam o segundo passo da revolução tecnológica que a marca terá a partir deste ano no país. Eles trazem elegância, tecnologia e sofisticação ímpar, além de conforto e estabilidade, que proporcionam esportividade exclusiva para esta categoria em todo o mercado", revela Johannes Roscheck, presidente e CEO da Audi do Brasil.

Os modelos já estão sendo pré-comercializados com um desconto de até R$ 30 mil reais. Os dois modelos contam com o espetacular motor de três litros TFSI, que desenvolve 340 cavalos de potência e torque de 500 Nm. A transmissão é de sete velocidades. O A6 faz de 0 a 100km/h em 5,1 segundos e o A7 em 5,3 segundos. A velocidade máxima é limitada eletronicamente em 250 km/h. Já a tração quattro usa a eficiente tecnologia ultra, que ativa a tração nas quatro rodas conforme necessário.  

O novo Audi A6 sedan é oferecido em versão única a partir de R$ 426.990,00 e o A7 sportback a partir de R$ 456.990,00.

MUITO RÁPIDO

Num circuito insano muito estreito e em subida, com 99 curvas em apenas 11 quilômetros, o protótipo da Volkswagen I.D R bateu mais recorde para um carro elétrico. É o quarto. O superesportivo com dois motores elétricos, um em cada eixo, e que desenvolvem 680 cavalos, fez com o piloto Roman Dumas o trajeto em 7 minutos e 38,58 segundos.  


AH, QUE FALTA QUE FAZ

Um dos modelos mais emocionantes e legais à venda pela Fiat no Brasil foi o 500 Abarth. O foguetinho era um carro espetacular: muito rápido, boa dirigibilidade e estabilidade. Mas era caro e a marca italiana deixou de o importar.  

Agora chega na Europa o novo Fiat Abarth 595 Pista, com motor 1,4 litro à gasolina, reparado com 165 cavalos.  

Com um novo turbocompressor Garrett, tem menor taxa de compressão (de 9,8: 1 para 9: 1), otimizando a temperatura dentro da câmara de combustão. O torque é de 230 Nm a 2.250 rotações por minuto.  


HISTÓRIA FANTÁSTICA 

Uma história emocionante com final feliz aconteceu nos EUA. Wesley Ryan, de San Antonio, no Texas, era proprietário de um Ford Mustang 1993 e toda a família gostava muito do carro. Porém, a mulher dele, Laura, teve câncer de ovário e para pagar o tratamento ele foi obrigado a se desfazer do carro.  

O filho de Wesley, Jake, lembra até hoje a cara de tristeza do pai ao ver o Mustang indo embora. Um dia, "passeando" na Internet, ele viu o Mustang que pertenceu ao seu pai no site de leilões e não teve dúvida: comprou o carro. O pai ficou emocionadíssimo. 

O modelo estava em bom estado, mas precisava de uma boa reforma e com os recursos da família, isso levaria uns quatro anos. Porém, a história ganhou as redes sociais e chegou ao presidente do conselho da Ford Motor Company, Bill Ford. 

Não menos emocionado com a história, Bill deu a restauração e um tuning completo, que ficou a cargo da empresa Hennessey Performance.  

Além de um novo motor 5.0, transmissão e rodas, o Mustang da família Ryan teve a pintura e o interior reformados. E a Ford ainda doou US$ 1.000 para a Warriors in Pink/Henry Ford Cancer Center para apoiar a pesquisa e tratamento da doença.     


INVESTINDO NO FUTURO

Mais uma vez, a JAC Motors mostra ousadia e lança de uma só vez dois SUVs, um hatch compacto e uma picape, todos elétricos. A marca vai continuar comercializando os modelos à combustão, mas é a primeira empresa a apresentar uma gama de carros 100% elétricos. Existem algumas empresas vendendo modelos elétricos, mas sem a diversificação da JAC e com menos autonomia. 

O modelo iEV20 é o modelo elétrico mais barato à venda no Brasil e segundo a JAC, tem autonomia de 400 quilômetros. Os outros lançamentos são dois SUV médios, o iEV40 e o iEV60. Mas os destaques ficam por conta da picape, a primeira totalmente elétrica no mundo, e do caminhão.  

A iEV330P custa R$ 229,9 mil tem autonomia de 320 km e carrega 800kg de carga útil. O modelo ainda tem uma das maiores caçambas do mercado. 

O iEV1200T, é um caminhão elétrico com peso bruto de seis toneladas e autonomia de 200 quilômetros. O VUC (veículo urbano de carga) começará a ser vendido em dezembro por R$ 259.900. 

Em diversos Estados e cidades, há isenção de impostos e no caso de SP, são liberados do rodízio.   


MELHOR QUE AUTOMÓVEL

A Mercedes-Benz apresentou esta semana o caminhão mais moderno e interativo do Brasil. A linha Actros 2020 conta com três novos caminhões extrapesados: os cavalos mecânicos 2045 4×2 (marcando a estreia do Actros na categoria 4×2); o 2548 6×2; e o 2648 6×4. 

O modelo Actros 2651 6×4 continua a ser comercializado, já que é um dos preferidos do segmento. O Actros usa o motor OM 460, e além do motor de 510 cavalos, agora conta com duas novas opções de potência: 450 e 480 cv. 

"A chegada do novo Actros no Brasil em 2020 irá revolucionar o segmento de caminhões extrapesados. Estamos trazendo para os nossos clientes e ao mercado o caminhão mais inteligente, seguro, conectado e eficiente de todos os tempos", destaca Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO da América Latina.  

O que mais impressiona é a tecnologia desse caminhão. Logo, vamos voltar ao assunto.  

RARIDADE MESMO

Cheio de ideias e com uma boa visão de futuro, o engenheiro João Augusto Conrado do Amaral Gurgel criou uma fábrica de automóveis que produziu jeeps, minivans, carros econômicos para rodar nas cidades e até, há quase 50 anos, um modelo elétrico.

O Supermini, o último carro a ser produzido na fábrica de Rio Claro-SP, ganhou várias versões que nunca entraram realmente em produção. Recentemente, a coluna "Andando de Carro" flagrou na Marginal Pinheiros, na cidade de São Paulo, um Supermini picape.

Bonitinha e muito bem cuidada, se não for a única, tem pouquíssimas "irmãs". Segundo um especialista, Gurgel ia inventando e não havia muito registro. Deveria ser para um lançamento futuro. Porém, a falência chegou em maio de 1994. 


Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON