Chris Pine aceita um trabalho mercenário em "Contrato Perigoso"

Com uma extensa carreira nas forças armadas dos Estados Unidos da América, James Harper ainda enfrenta os desafios de viver com uma grande lesão no joelho

| ACidadeON Campinas -

Cena do longa-metragem 'Contrato Perigoso' (2022) (Foto: Divulgação)
O ator Chris Pine interpreta um soldado com poucas esperanças de conseguir um novo emprego em 'Contrato Perigoso', novo longa-metragem dirigido por Tarik Saleh. Com uma extensa carreira nas forças armadas dos Estados Unidos da América, James Harper enfrenta os desafios de viver com uma grande lesão no joelho enquanto segue uma série de treinamentos físicos para manter a forma.   
 
Entretanto, quando um novo comandante assume, sua posição é colocada em cheque e seu emprego estável, com plano de saúde e assistência médica, é tirado de suas mãos. Com uma esposa, um filho pequeno e uma lista de dívidas a pagar, James lida com a possibilidade de entrar para o ramo de segurança privada quando um antigo conhecido entra em cena.
 

Ben Foster em Contrato Perigoso (2022) (Foto: Divulgação)
Quando ainda servia no Oriente Médio, Mike era seu superior e, durante uma missão, James salvou a sua vida. Portanto, Mike acredita que seja a hora de retribuir oferecendo uma oportunidade única de emprego. Através de contatos da época do exército, Mike conhece um grupo formado por antigos soldados que trabalham como mercenários para a Segurança Nacional.

Sem a opção de recusar um emprego, James embarca para Berlim em sua primeira missão. Contudo, o trabalho não sai como esperado e Harper percebe que nem tudo é o que parece. Com roteiro assinado por J.P. Davis, a narrativa foca nas experiências e no passado de seu protagonista.   
 
Chris Pine como James Harper em Contrato Perigoso (2022) (Foto: Divulgação)
A infância e a motivação de James Harper para se tornar um soldado são constantemente abordadas ao longo de uma hora e quarenta de duração do suspense. Esse tema ainda é lembrado através de flashbacks, que tentam explicar o comportamento do personagem em sua vida adulta devido às experiências da juventude.  

Na pele de James Harper, o ator Chris Pine força muito em sua atuação, principalmente durante as cenas mais dramáticas (algo que acontece de forma contínua). Mesmo que apareçam em poucos momentos, os atores Ben Foster e Eddie Marsan ganham grande destaque na trama devido à profundidade na qual apresentam seus personagens.    
 
Cena do longa-metragem Contrato Perigoso (2022) (Foto: Divulgação)
Além disso, o elenco conta com um quase irreconhecível Kiefer Sutherland, que deve ter pouco menos de 10 minutos em cena. Ainda que a performance do protagonista não seja digna de aplausos, o roteiro de 'Contrato Perigoso' é ainda mais difícil de ignorar. O enredo, muitas vezes, é confuso demais para acompanhar e a narrativa é extremamente truncada em decorrência dos constantes flashbacks.   

Contudo, os trechos em que o roteirista J.P. Davis tenta forçar diálogos sem sentido entre as cenas de ação são ainda piores. Na tentativa de fazer um longa-metragem que relembra clássicos do gênero, como a trilogia 'A Identidade Bourne' (que mescla o drama, o suspense e a ação com maestria), o diretor Tarik Saleh falha completamente.
 
Kiefer Sutherland e Chris Pine em Contrato Perigoso (2022) (Foto: Divulgação)
Com um elenco talentoso pouco utilizado e uma premissa mais do que batida no cinema hollywoodiano, 'Contrato Perigoso' entrega um drama lento e fraco, recheado de diálogos e motivações superficiais e com poucas cenas de ação.