"Doutor Estranho no Multiverso da Loucura" reserva surpresas aos fãs

A trama acompanha Stephen Strange após os acontecimentos de "Vingadores: Ultimato", e os projetos anteriores do universo têm grande peso nesta narrativa.

| ACidadeON Campinas -

Benedict Cumberbatch interpreta Stephen Strange em 'Doutor Estranho no Multiverso da Loucura' (2022) (Foto: Divulgação)
O diretor Sam Raimi possui uma vasta experiência quando o assunto é o Universo Cinematográfico da Marvel. Em 2002, o cineasta apresentou a sua primeira adaptação do amigo da vizinhança em Homem-Aranha. Ao longo de cinco anos, Raimi entregou mais duas sequências ao lado do ator Tobey Maguire e caiu na graça dos fãs de quadrinhos por sua versão adorada do personagem.

Conhecido por suas habilidades para o terror e por suas equipes de efeitos visuais impecáveis, Sam Raimi embarca em um novo desafio em "Doutor Estranho no Multiverso da Loucura". A trama acompanha Stephen Strange após os acontecimentos de "Vingadores: Ultimato", e os projetos anteriores do universo têm grande peso nesta narrativa.
 
Cena do longa-metragem Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (2022) (Foto: Divulgação)
O enredo segue o Doutor Estranho em uma aventura rumo ao desconhecido e a diversos universos diferentes. Ao lado de novos e antigos aliados místicos, Stephen tenta proteger a jovem América Chávez de ameaças sobrenaturais enquanto luta para manter a realidade em que vive palpável.

Com personagens inéditos e outros já conhecidos pelo público, "Doutor Estranho no Multiverso da Loucura" faz diversos paralelos a projetos do estúdio e reserva muitas surpresas aos fãs da Marvel. Entretanto, algumas expectativas e previsões podem não se concretizar da forma desejada.

Xochitl Gómez como América Chávez em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (2022) (Foto: Divulgação)
Na pele de Stephen, o ator Benedict Cumberbatch entrega uma performance encantadora e consistente, mas, apesar de dar nome ao longa-metragem, sua jornada não parece ser o foco do cineasta. O filme de Sam Raimi possui uma participação muito maior de suas personagens femininas.

As atrizes Rachel McAdams e Xochitl Gómez, que interpretam Christine e América Chávez, respectivamente, têm grande relevância para o desenvolvimento da estória base e são peças fundamentais na trama criada por Michael Waldron. Contudo, o destaque é inteiramente de Elizabeth Olsen.
 
Elizabeth Olsen como Feiticeira Escarlate em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (2022) (Foto: Divulgação)
No trabalho mais profundo de sua carreira, Olsen navega pelas insanidades e paixões de Wanda Maximoff com extrema facilidade, causando comoção e emoções diversas no espectador. Sua personagem conta com nuances constantes e mudanças drásticas de humor, algo que a atriz consegue administrar muito bem ao longo das duas horas de duração do longa.

Em uma temática mais sombria e emocionante, Sam Raimi traz um toque pessoal ao Universo da Marvel. Além disso, os efeitos visuais de "Doutor Estranho no Multiverso da Loucura" não deixam nem um pouco a desejar e entregam a insanidade das ações de Stephen Strange com muitos detalhes e adereços.
 
Benedict Cumberbatch em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (2022) (Foto: Divulgação)
Quanto ao enredo, o multiverso da Marvel já havia sido abordado em outros projetos do estúdio, nas séries "Loki" e "WandaVision" e no último longa-metragem do amigo da vizinhança, em "Homem-Aranha: Sem volta pra casa". Entretanto, nas produções anteriores, a coexistência dos universos não tinha tanto impacto na vida dos protagonistas como acontece neste segundo episódio da saga solo do Doutor Estranho.

Além disso, os títulos anteriores possuem forte impacto nesta narrativa. A necessidade de acompanhar principalmente a série "WandaVision" é constante no filme de Sam Raimi, uma vez que o diretor faz diversas referências à produção e seu desfecho na jornada de Wanda.

Elizabeth Olsen interpreta Wanda em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (2022) (Foto: Divulgação)
Com performances fortes e emocionantes, efeitos visuais impressionantes e uma duração mais fácil de acompanhar, "Doutor Estranho no Multiverso da Loucura" se distancia um pouco da parte mística e psicodélica de seu antecessor para abordar várias possibilidades de produções futuras do estúdio.