A primeira planta de Campinas, desenhada em 1878, e reproduzida no livro “Retalhos da velha Campinas”, de Geraldo Sesso Junior, publicado em 1970. 1 | 11
A primeira planta de Campinas, desenhada em 1878, e reproduzida no livro “Retalhos da velha Campinas”, de Geraldo Sesso Junior, publicado em 1970.
De Carlos Gomes, a ópera “Il Guarany” estreou no Scala de Milão em 19 de março de 1870 – sua abertura foi popularizada quando se tornou o tema do programa de rádio 'A Voz do Brasil'. 1 | 11
De Carlos Gomes, a ópera “Il Guarany” estreou no Scala de Milão em 19 de março de 1870 – sua abertura foi popularizada quando se tornou o tema do programa de rádio 'A Voz do Brasil'.
Capa da partitura de “Ao Ceará Livre!”, marcha popular para piano feita pelo maestro Carlos Gomes em homenagem à libertação dos escravos (25 de março de 1884). 1 | 11
Capa da partitura de “Ao Ceará Livre!”, marcha popular para piano feita pelo maestro Carlos Gomes em homenagem à libertação dos escravos (25 de março de 1884).
Publicada entre 1928 e 1975, a revista “Cruzeiro” tinha como diferencial o design editorial arrojado, e foi a principal revista ilustrada brasileira do período. 1 | 11
Publicada entre 1928 e 1975, a revista “Cruzeiro” tinha como diferencial o design editorial arrojado, e foi a principal revista ilustrada brasileira do período.
“Ajuêia Chiqunha: embollada do norte” – embora a autoria destas canções geralmente não seja identificada, grandes poetas do romantismo brasileiro escreveram letras para as modinhas. 1 | 11
“Ajuêia Chiqunha: embollada do norte” – embora a autoria destas canções geralmente não seja identificada, grandes poetas do romantismo brasileiro escreveram letras para as modinhas.
“Almanaque do Biotonico”, São Paulo, 1942 – a publicação tinha como diferencial apresentar orientações agrícolas para cada mês e região do país. 1 | 11
“Almanaque do Biotonico”, São Paulo, 1942 – a publicação tinha como diferencial apresentar orientações agrícolas para cada mês e região do país.
Relatório apresentado pelo Intendente Municipal Joaquim Ulysses Sarmento, abrangendo o período de 11 de setembro de 1897 a 31 de março de 1898. 1 | 11
Relatório apresentado pelo Intendente Municipal Joaquim Ulysses Sarmento, abrangendo o período de 11 de setembro de 1897 a 31 de março de 1898.
Planta de Campinas em 1900, também na publicação organizada por Leopoldo Amaral, “A cidade de Campinas em 1900”. 1 | 11
Planta de Campinas em 1900, também na publicação organizada por Leopoldo Amaral, “A cidade de Campinas em 1900”.
O escultor modernista Lélio Coluccini, que na década de 1930 estabeleceu-se em Campinas. Tela em acrílico de Sílvia Simões Magro. 1 | 11
O escultor modernista Lélio Coluccini, que na década de 1930 estabeleceu-se em Campinas. Tela em acrílico de Sílvia Simões Magro.
“A defesa das melindrosas”, marchinha para o Carnaval de 1925 da cidade de São Paulo. 1 | 11
“A defesa das melindrosas”, marchinha para o Carnaval de 1925 da cidade de São Paulo.
Desenho feito pela artista plástica Fúlvia Gonçalves para o livro “Testemunhos do passado campineiro”, publicado em parceria com o jornalista Benedito Barbosa Pupo (1986). 1 | 11
Desenho feito pela artista plástica Fúlvia Gonçalves para o livro “Testemunhos do passado campineiro”, publicado em parceria com o jornalista Benedito Barbosa Pupo (1986).
A primeira planta de Campinas, desenhada em 1878, e reproduzida no livro “Retalhos da velha Campinas”, de Geraldo Sesso Junior, publicado em 1970.
De Carlos Gomes, a ópera “Il Guarany” estreou no Scala de Milão em 19 de março de 1870 – sua abertura foi popularizada quando se tornou o tema do programa de rádio 'A Voz do Brasil'.
Capa da partitura de “Ao Ceará Livre!”, marcha popular para piano feita pelo maestro Carlos Gomes em homenagem à libertação dos escravos (25 de março de 1884).
Publicada entre 1928 e 1975, a revista “Cruzeiro” tinha como diferencial o design editorial arrojado, e foi a principal revista ilustrada brasileira do período.
“Ajuêia Chiqunha: embollada do norte” – embora a autoria destas canções geralmente não seja identificada, grandes poetas do romantismo brasileiro escreveram letras para as modinhas.
“Almanaque do Biotonico”, São Paulo, 1942 – a publicação tinha como diferencial apresentar orientações agrícolas para cada mês e região do país.
Relatório apresentado pelo Intendente Municipal Joaquim Ulysses Sarmento, abrangendo o período de 11 de setembro de 1897 a 31 de março de 1898.
Planta de Campinas em 1900, também na publicação organizada por Leopoldo Amaral, “A cidade de Campinas em 1900”.
O escultor modernista Lélio Coluccini, que na década de 1930 estabeleceu-se em Campinas. Tela em acrílico de Sílvia Simões Magro.
“A defesa das melindrosas”, marchinha para o Carnaval de 1925 da cidade de São Paulo.
Desenho feito pela artista plástica Fúlvia Gonçalves para o livro “Testemunhos do passado campineiro”, publicado em parceria com o jornalista Benedito Barbosa Pupo (1986).