Doria anuncia fase emergencial até o final do mês; entenda Doria anuncia fase emergencial até o final do mês; entenda

Doria anuncia fase emergencial até o final do mês; entenda

Fase emergencial começará no dia 15 de março e será válida por 15 dias; governo suspendeu aulas presenciais em escolas e campeonatos esportivos, além de fechar igrejas

 
 

O governador João Doria (PSDB) (Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo)

O governo de São Paulo anunciou nesta quinta-feira (11) um endurecimento ainda maior das medidas de restrição na quarentena de covid-19 em todo o estado. Entre elas estão a suspensão de funcionamento de igrejas e também a interrupção de campeonatos esportivos, como o futebol. 
 
As medidas passam a vigorar partir da próxima segunda-feira (15) e se estendem até o dia 30 para frear o aumento de novos casos, internações e mortes pelo coronavírus e conter a sobrecarga em hospitais de todo o estado.  
 
A fase emergencial do Plano São Paulo mantém a fase vermelha de controle da pandemia e regulação de serviços não essenciais. Porém, para ampliar o distanciamento social e reduzir a circulação urbana, foram ampliadas as restrições de algumas atividades comerciais autorizadas na fase vermelha.

O teletrabalho será obrigatório para todas as atividades administrativas não essenciais. A imposição vale tanto para órgãos públicos como escritórios particulares e serviços de call center. Todas as medidas da fase emergencial visam reduzir a circulação de ao menos 4 milhões de pessoas por meio das restrições adicionais.

A restrição completa proíbe retirada presencial de produtos em restaurantes e lanchonetes, proíbe atendimento presencial em lojas de material de construção e veta celebrações religiosas coletivas e atividades esportivas em grupo. Lojas e restaurantes só poderão fazer entregas pelo sistema em que o consumidor recebe o produto dentro de seu veículo (drive thru), entre 5h e 20h, ou por serviços de entrega na residência (delivery) por telefone ou aplicativo de internet. Não haverá nenhuma restrição ao funcionamento de supermercados.

AS ATIVIDADES

Além de igrejas e campeonatos esportivos, estão restritos serviços de escritório, comércio para tecnologia, hotelaria e telecomunicações. A restrição é completa para retirada de produtos em todos os setores, e lojas de construção não poderão funcionar.

O drive-thru também só poderá ocorrer das 5h às 20h e as atividades administrativas deverão adotar o tele-trabalho (home-office). Já o delivery de restaurantes e outros estabelecimentos similares pode funcionar 24 horas. O uso de parques e praias também está proibido. A nova medida mantém o toque de recolher das 20h às 5h de pessoas, informou o governo estadual.  

Já o transporte coletivo seguirá funcionando, mas é recomendado um escalonamento de entrada no trabalho por categorias para evitar aglomerações nos coletivos. Sobre as escolas, elas seguirão parcialmente abertas para atender alunos vulneráveis que precisem de alimentação ou que precisem de equipamento para aulas remotas. Na rede privada, isso será opcional, mas as regras que limitam a 35% de ocupação seguem valendo. 
 
ESCOLAS

As escolas da rede estadual só ficarão abertas para merenda de alunos carentes e distribuição de materiais mediante agendamento prévio. Os recessos de abril e outubro serão antecipados para o período entre 15 e 28 de março. A Secretaria da Educação também vai indicar que a medida seja adotada nas escolas municipais e particulares.
 
Redes municipais e particular

As escolas das redes municipal e particular terão autonomia para decidir se vão ou não acompanhar o calendário da rede estadual, antecipando o recesso. A recomendação, entretanto, é que todas as atividades presenciais sejam reduzidas, com limite máximo de até 35% dos alunos atendidos por dia, respeitando os protocolos de segurança.

EXPECTATIVA


Ontem, havia a expectativa que essas medidas fossem anunciadas, mas elas foram determinadas hoje em coletiva oficial do governador João Doria (PSDB). As restrições ocorrem após um dia depois de o estado atingir um novo recorde de mortes diárias de covid-19 e da manutenção da fase vermelha. Até então a fase era a mais restritiva e havia sido decretada no dia 6 de março até o dia 19.

No entanto, na terça-feira (9), a suspensão de partidas de futebol e também do funcionamento de igrejas já haviam sido recomendadas pelo Ministério da Saúde. No dia, a Secretaria de Estado de Saúde afirmou que avaliava o pedido. Ontem, o Brasil também registrou novo recorde de mortes por covid-19, totalizando 2.286 óbitos em um dia.

CRISE SANITÁRIA

'Nosso estado enfrenta uma das maiores, senão a maior crise sanitária de todos os tempos. Mesmo a gripe espanhola não assolou tantas vítimas, com repercussão tão dramática como a da covid em nosso meio. Com a pandemia acometendo cada vez mais pessoas, os nossos hospitais começando a comprometer. Vários já estão comprometidos, chegando a 100% de sua ocupação. Estamos no limite', disse o secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn.

Segundo ele, hoje, 53 municípios estão com 100% na taxa de ocupação. Na segunda-feira, eram 32 com este potencial. 'É a velocidade de instalação na pandemia que compromete a assistência à vida. Hoje estamos com 87,6% de taxa de ocupação no estado.' Em média, são 150 novas admissões nos hospitais a cada dia, informou o secretário.

'É uma pandemia diferente do ano passado, que eram idosos e portadores de outras doenças acometidos. Hoje, em muitas UTIs, 50% de sua ocupação já é composta por pessoas com idade menor de 50 anos. Ou seja, mais jovens estão sendo comprometidos. Muitas vezes em estado grave', disse.

EM CAMPINAS


Em Campinas, as aulas presenciais já estavam suspensas por determinação municipal desde o dia 3 de março,quando o prefeito Dário Saadi (Republicanos) adiantou a entrada da cidade na fase vermelha devido a pressão na rede pública de saúde com o número de internação.

Ontem, a Prefeitura informou que a fila de espera atual de leitos municipais para o tratamento de covid-19 é de 100 pessoas.Ao todo são 70 pacientes que esperam por vaga em leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e 30 em enfermarias nos hospitais municipais da cidade.

Por conta da situação, a Administração anunciou que vai ceder aparelhos de oxigênio (respiradores) para pacientes com coronavírus e que estão em leitos de enfermaria, em hospitais públicos e privados, e que estão em condição de receber alta. Além disso, também reestruturou a rede pública para desafogar os hospitais Mário Gatti e Ouro Verde, que não atenderão mais pacientes com sintomas brandos, como febre e dor no corpo. Eles serão encaminhados para Centros de Saúde e UPAs (Unidades de Pronto Atendimento).

HC E LEITOS

No HC (Hospital de Clínicas), da Unicamp, os atendimentos seguem suspensos desde terça-feira e as cirurgias eletivas, desmarcadas. Isso porquê o PS (Pronto-Socorro) do hospital está com 350% de ocupação e a UTI-Covid sem leitos para atender pacientes. No SUS municipal, a ocupação dos leitos complexos para covid era de 99,15% ontem, com apenas uma UTI livre. Hoje, o Hospital Metropolitano lotou e anunciou mais leitos de covid (leia mais aqui).

Mais Notícias

Mais Notícias