Com nova confirmação, Campinas tem 17 casos de varíola dos macacos Com nova confirmação, Campinas tem 17 casos de varíola dos macacos

Com nova confirmação, Campinas tem 17 casos de varíola dos macacos

Nova infecção foi divulgada pela secretaria estadual e confirmada pela pasta de Saúde de Campinas; veja dados da região e do estado

Vírus Monkeypox, conhecido como varíola dos macacos (Foto: Reprodução/ EPTV Campinas)
 

A secretaria estadual de Saúde confirmou nesta quinta-feira (4) mais um caso de varíola dos macacos em Campinas. Com isso, o total na metrópole chega a 17. A pasta municipal de Saúde confirmou o novo caso, mas não possuía detalhes.

Apesar da confirmação da pasta estadual de 17 casos, a prefeitura de Campinas afirmou que a cidade tem 18 confirmações da doença.  

De acordo com o boletim epidemiológico municipal, os pacientes são 16 homens e duas mulheres, com idades entre 23 e 50 anos. Seis deles saíram do isolamento. Os demais contam com acompanhamento ambulatorial, sem gravidade e com boa evolução.

Além disso, o Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde) de Campinas detalhou que possuía, até esta quarta, 50 notificações de monkeypox. Deste total, 46 eram residentes de Campinas e quatro moravam em municípios da região.

A secretaria de Saúde de Campinas afirma ainda que toda a rede municipal está preparada para atender, diagnosticar e monitorar os casos da doença.

O atendimento está disponível nos centros de saúde, prontos-socorros, prontos atendimentos e no Centro de Referência em IST, HIV/AIDS e hepatites virais.

ESTADO E REGIÃO

Ainda conforme a secretaria estadual, o território paulista tem hoje 1.298 casos confirmados de varíola dos macacos, 114 a mais em relação a esta quarta-feira. Na região de Campinas, o número saiu de 23 ontem para 24 nesta quinta:

Americana - 1

Campinas - 17

Indaiatuba - 2

Paulínia - 2

Santa Bárbara d'Oeste - 1

Vinhedo - 1

Total: 24


LEIA MAIS

5G em Campinas: veja quando o sinal será liberado na cidade

Empresário de Campinas tem patinete elétrico apreendido: 'falaram que nunca viram isso'

Comerciantes denunciam prejuízos com furtos na rede elétrica em Hortolândia

GRÁVIDAS INFECTADAS


O governo de São Paulo informou hoje que duas grávidas, cinco crianças e cinco adolescentes foram diagnosticados com a doença e estão em isolamento. Embora o vírus tenha se espalhado mais rapidamente entre homens gays e bissexuais, especialistas alertam que a contaminação pode migrar para outros grupos.

'Pode acontecer com todo mundo', disse o secretário de Ciência, Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde, David Uip, durante o anúncio de um plano de enfrentamento da doença em São Paulo.

Uip ponderou que, até agora, há a prevalência da doença em determinados grupos, como homens que fazem sexo com outros homens, mas essa situação é 'transitória'. 'Daqui a pouco, todas as pessoas vão estar passíveis de contaminação.'

Apesar de a letalidade da doença ser considerada baixa, de um modo geral, e a maioria dos casos não precisar de internação, o risco é maior para grávidas, crianças com menos de 8 anos de idade e pessoas imunodeprimidas, como pacientes com câncer e transplantados (LEIA A NOTÍCIA COMPLETA AQUI).

CONFIRA OS SINTOMAS DA VARÍOLA DOS MACACOS

- O principal sintoma é o aparecimento de lesões parecidas com espinhas ou bolhas que podem surgir no rosto, dentro da boca ou em outras partes do corpo, como mãos, pés, peito, genitais ou ânus

- Caroço no pescoço, axila e virilhas

- Febre

- Dor de cabeça

- Calafrios

- Cansaço

- Dores musculares


COMO SE PREVENIR

- Evitar contato íntimo ou sexual com pessoas que tenham lesões na pele

- Evitar beijar, abraçar ou fazer sexo com alguém com a doença;

- Higienização das mãos com água e sabão e uso de álcool gel

- Não compartilhar roupas de cama, toalhas, talheres, copos, objetos pessoais ou brinquedos sexuais

- Uso de máscaras, protegendo contra gotículas e saliva, entre casos confirmados e contactantes


LEIA TAMBÉM

Mais caro que gasolina: por que o leite está tão caro?


Mais Notícias

Mais Notícias