Comerciantes denunciam prejuízos com furtos na rede elétrica em Hortolândia Comerciantes denunciam prejuízos com furtos na rede elétrica em Hortolândia

Comerciantes denunciam prejuízos com furtos na rede elétrica em Hortolândia

De acordo com empresários que fazem reparos na fiação, média de atendimentos na região chegou a 60 por mês

Comerciantes de Hortolândia relatam prejuízos com furtos de fios (Foto: Reprodução/EPTV Campinas)
Comerciantes de Hortolândia estão relatando prejuízos com os furtos de fiação nos estabelecimentos. Keyla Braga tem uma loja de presentes na cidade e relata que precisou tirar o ar condicionado do local após dois furtos seguidos.  

'Nós trocamos duas vezes a infraestrutura do ar condicionado e chegamos ao ponto de tirar mesmo o equipamento', desabafa a comerciante. 

Além do furto da fiação, os criminosos tentam entrar na loja pelo telhado e causam mais prejuízos para a comerciante, já que telhas e forros são quebrados. 

'Como eles não conseguem entrar, porque aqui a gente é bem seguro, tem muita grade, eles tentam entrar pelo telhado, não conseguem porque tem o forro e um gradil entre o forro e telhado, mas a gente tem esse prejuízo também na parte elétrica porque eles saem arrancando tudo'.

LEIA MAIS 
 
Bandidos fazem vigilante refém e invadem subestação da CPFL em Sumaré
 
Homem é esfaqueado na Barão de Jaguara, em Campinas
 
Acidente na Anhanguera deixa oito feridos entre Campinas e Sumaré

E Keyla não é a única que relata prejuízos. Irineu Frazão também tem um estabelecimento comercial na cidade e conta que há 20 dias a loja chegou a ficar sem energia elétrica por causa dos furtos de fiação. 

Ele estima que o prejuízo no ano passado ficou em torno de R$ 30 mil. 'Num sábado, arrancaram toda a fiação interna. No domingo arrancaram toda a rede. Tivemos que refazer tudo, material e mão de obra'. 

Ele conta que optou por investir em segurança. 'Cerca elétrica, câmera, tudo o que é de segurança a gente é obrigado a colocar. Até mesmo em obra a gente tem que colocar alarme lá'. 

AUMENTO NOS REPAROS 

Rodrigo Braga trabalha com consertos de fiação e diz que tinha uma demanda de dois atendimentos por mês em cidades como Hortolândia, Monte Mor, Sumaré e Campinas. 

Agora, a média é de 60 casos por mês: 'De sete meses pra cá aumentou bem agressivamente devido a essas tentativas de furtos, vandalismo, eles tentam roubar e quebram telha, vidros, roubam fios, às vezes tentam, mas não conseguem, mas tem um reparo pra ser feito depois'. 

Os trabalhos são tantos que ele optou por andar com todos os equipamentos no carro para atender todos os chamados. 

EMPRESAS DE SEGURANÇA 

Por causa desse aumento de furtos, também cresceu a demanda das empresas de segurança que instalam cercas elétricas e câmeras de monitoramento. 

Ilma Soares é empresária do ramo e aponta que os atendimentos ocorrem tanto em residências quanto no comércio. Ela conta que a procura por clientes que tiveram problemas na fiação representava de 30% a 40% das demandas, mas agora o índice é de 85% dos atendimentos. 

'A demanda maior é em estabelecimentos. São lojas que infelizmente à noite está propício acontecer, mas há procura também em residências'. 

OUTRO LADO 

Em nota, a Prefeitura de Hortolândia, por meio da secretaria de Segurança, diz que o patrulhamento ostensivo realizado pela Guarda Municipal foi intensificado a fim de se coibir este tipo de delito. 'Mais de dez pessoas já foram conduzidas e apresentadas à Polícia Civil em flagrante delito', informou. Ainda segundo a nota, a Prefeitura tem mantido contato com os comerciantes e acompanha de perto a situação. 

A Polícia Militar não respondeu às perguntas da reportagem até a publicação desta matéria.

LEIA TAMBÉM  
Biometria facial ajuda transporte público a superar desafios



Mais Notícias

Mais Notícias