Ipem faz alerta sobre uso e instalação de GNV em automóveis Ipem faz alerta sobre uso e instalação de GNV em automóveis

Ipem faz alerta sobre uso e instalação de GNV em automóveis

Primeiro semestre teve alta de 6,5% no número de veículos adaptados

Instalação do GNV deve ser realizada com cautela (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)
O Ipem (Instituto de Pesos e Medidas) do estado de São Paulo lançou uma série de recomendações para garantir a segurança da instalação do kit de GNV (Gás Natural Veicular) nos automóveis.

Em razão da alta no preço dos combustíveis, muitos motoristas têm buscado converter seus veículos para a utilização do gás veicular geralmente, mais barato.

De acordo com dados do Ministério da Infraestrutura, no primeiro semestre de 2022, houve aumento de 6,5% no número de veículos aprovados a utilizar o GNV no país, em relação a igual período de 2021. Em comparação a 2020, a alta foi de 47%. 
 
LEIA MAIS 
 
<b>Preço da gasolina: redução de R$ 0,15 é esperada em Campinas</b> 
 
Total de eleitores com ensino superior cresce 22% em Campinas&nbsp;

Rod. Anhanguera tem interdição após atropelamento, em Sumaré


RECOMENDAÇÕES

Segundo o Ipem, o motorista interessado em fazer a conversão deverá, primeiramente, procurar uma oficina registrada no Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). A relação de instaladores registrados pode ser consultada no site do Inmetro.

Após isso, é necessário providenciar autorização prévia do Detran (Departamento Estadual de Trânsito). Em seguida, o motorista deve escolher o kit de instalação de GNV compatível com seu veículo.

'O de terceira geração é indicado para motores aspirados ou com injeção eletrônica de mono ou multiponto. O kit de quinta geração é recomendado para veículos mais potentes e mais modernos. Se o veículo funcionar com injeção direta de combustível é usado o de sexta geração. As diversas gerações de kit´s possuem princípios de funcionamento, desempenho, manutenção e preços diferentes', destaca o comunicado do Ipem.

O instituto também recomenda que nunca sejam utilizadas peças usadas de outros proprietários. De acordo com o Ipem, os componentes de origem desconhecida podem apresentar problemas sérios, como vazamentos e falta de adequação ao tipo do veículo.

'A única exceção permitida é a do cilindro de GNV, que pode ser novo ou requalificado, desde que tenha o respectivo certificado de requalificação. Também deve-se ter cuidado com produtos oferecidos em redes sociais ou comércio virtual quando não há clareza das informações do cilindro', ressalta o instituto.

O Ipem recomenda que o motorista exija que a oficina faça uma inspeção no veículo antes da instalação. Problemas em velas, cabos, bateria, e na injeção eletrônica poderão comprometer a instalação do GNV e o desempenho geral do veículo.

Para motoristas do estado de São Paulo, o Detran oferece um passo a passo de como proceder para fazer a alteração de combustível no veículo. Confira no link
 
*Com informações da Agência Brasil 
 
LEIA TAMBÉM 
 
<b>Preço da gasolina vai abaixar R$ 0,15 nas refinarias</b>

Mais Notícias

Mais Notícias