Jovem que relatou estupro em Jaguariúna diz que exame comprovou que ela foi dopada Jovem que relatou estupro em Jaguariúna diz que exame comprovou que ela foi dopada

Jovem que relatou estupro em Jaguariúna diz que exame comprovou que ela foi dopada

Estudante disse que novos exames comprovaram violência sexual e 'boa noite, Cinderela'

Franciane Andrade voltou a falar sobre o caso em suas redes sociais (Foto: Reprodução/Instagram)

A jovem de 23 anos que denunciou ser estuprada enquanto participava do rodeio de Jaguariúna, usou as redes sociais para falar mais uma vez sobre o caso. Neste sábado (4), Franciane Andrade disse que outra médica comprou a violência sexual. Além disso, ela afirmou que o exame toxicológico ao qual foi submetida teria confirmado a presença da droga conhecida como 'boa noite, Cinderela'. A Polícia Civil investiga o caso. 

A influenciadora digital iniciou o vídeo rebatendo as críticas de quem duvida do crime. O conteúdo foi publicado no stories do seu perfil no Instagram na tarde de hoje. 

'O sentimento é de revolta. Revolta porque a vítima é sempre acusada. A vítima é sempre a errada da história (...) Não tem como falar que não foi tá, além de ter sido na parte da frente, teve também anal. Tenho provas, tenho foto de todas as lesões. (...) Então, não venha acusar a vítima. Vocês não tem noção do quanto é sério o quanto acaba com a gente, acaba com a honra, dignidade, acaba com a honra dos meus pais. Eu nunca menti na minha vida, e jamais mentiria uma coisa dessas. Temos resultados de violência sexual por meios médicos, e agora também temos resultado do exame toxicológico que foi detectado a droga 'boa noite, Cinderela' naquela noite', disse a jovem.

Franciane também mostrou os remédios que tem tomado por causa de dores, e para evitar doenças sexualmente transmissíveis e infecção de urina. Segundo ela, essa é a terceira médica que confirma o abuso. 

'Fui na melhor perita de São Paulo, que atende nos melhores hospitais que existem (...) Foi sim comprovado a violência sexual pela terceira vez, pelo terceiro médico, além do médico do IML, do ginecologista da Santa Casa e dessa doutora aqui', informou Franciane.  


DEFESA 

A jovem agradeceu ainda o apoio do Projeto Justiceiras, que realiza atendimento multidisciplinar online para combater à violência contra mulher. 

As advogadas que representam Franciane publicaram uma nota informando que acompanham as investigações desde quinta (2), destacando que as oitivas realizadas, incluindo a da vítima, foram feitas sem a participação da defesa. 

As advogadas também repudiaram notícias falsas que divulgaram que as câmeras de segurança do rodeio não tem imagens sobre os fatos. Imagens do circuito interno da festa ainda estão em análise pela Polícia Civil, mas detalhes não foram divulgados pois o caso corre sob segredo de Justiça. 

ENTENDA O CASO 

A estudante universitária denunciou, por meio das redes sociais, na noite do último dia 30, ter descoberto que foi estuprada após ter participado do Rodeio de Jaguariúna, no sábado (27). 

Por meio de stories no Instagram, ela relatou que acordou na madrugada de domingo (28) depois de ter ficado um período inconsciente no show de sábado, e se perder dos amigos. Ela conta que durante a segunda-feira começou a sentir dores e foi ao médico. 

'Não sabia que tinha sido violentada. Comecei a sentir dor ontem à noite e vim hoje no médico', disse em um dos vídeos. Ela suspeita que foi dopada ao ingerir bebida no camarote da festa. 

INVESTIGAÇÃO 

Franciane prestou depoimento por três horas na manhã de quarta-feira (1º) na Delegacia da Mulher de Mogi Guaçu, que confirmou a abertura da investigação. O caso, no entanto, será encaminhado ao município de Jaguariúna. 

Segundo o boletim de ocorrência, a vítima relatou que ingeriu bebidas alcoólicas e não se lembra do que aconteceu, sabendo apenas que no meio da madrugada acordou em uma rotatória próxima ao local da festa. 

A Polícia Civil informou que na quinta-feira (2) ouviu duas amigas e um amigo da influenciadora digital. Também foram analisadas as imagens de 53 câmeras de segurança instaladas nas áreas do rodeio. 

Agora, segundo a polícia, serão analisadas imagens do sistema de monitoramento da cidade, na tentativa de localizar novas testemunhas. 

O crime investigado será o de estupro de vulnerável, quando a vítima não tem condições de apresentar resistência. A delegada da delegacia de Mogi Guaçu afirmou que caso deve seguir em segredo de Justiça, e disse que não pode dar detalhes sobre o exame de corpo de delito. 

POSIÇÃO DA ORGANIZAÇÃO 

Em nota, a organização do Jaguariúna Rodeo Festival afirmou que assim que tomou conhecimento do relato de Franciane Andrade, entrou em contato com a jovem e com sua família para prestar toda ajuda e suporte necessários. 

'A organização do Jaguariúna Rodeo Festival também está à disposição das autoridades para colaborar com a investigação do ocorrido. A propósito, já estão sendo analisadas as imagens e vídeos das diversas câmeras de segurança do festival', disse o texto. 

'Importante ressaltar que o camarote citado, assim como as demais áreas do evento, possui efetivo robusto de segurança e monitoramento. Por fim e não menos importante, o JRF reafirma seu compromisso com o bem-estar do público e repudia qualquer forma de abuso e discriminação, dentro ou fora dos eventos que realiza', completou.

Mais Notícias

Mais Notícias