Mapa da pobreza: região Sul de Campinas concentra maior vulnerabilidade Mapa da pobreza: região Sul de Campinas concentra maior vulnerabilidade

Mapa da pobreza: região Sul de Campinas concentra maior vulnerabilidade

Maior parte de famílias incluídas no Cadastro Único em Campinas está na região Sul, que abrange bairros como Campo Belo e Jardim Icaraí; veja levantamento

Bairros da região Sul concentram maior número de famílias inseridas no CadÚnico (Foto: Denny Cesare/ Código19)
Campinas chegou neste ano a 258,1 mil pessoas incluídas no Cadastro Único, destinado a pessoas em situação de vulnerabilidade. E no 'mapa da pobreza', analisando os cadastros por região, é possível ver a concentração das famílias em bairros periféricos da cidade.

A região Sul, que abrange bairros como Campo Belo, Jardim das Bandeiras, Jardim São Domingos e Jardim Icaraí, é a que aparece com o maior número de pessoas cadastradas no programa, que inclui as famílias em programas sociais.

Ao todo, são mais de 74 mil pessoas moradoras da região que estão cadastradas. 

 
LEIA MAIS  
 
Risco de contaminação interdita áreas de condomínio em Campinas 
 
Após julho mais quente em 30 anos, agosto deve ter calor e pouca chuva


a região Sudoeste é a segunda com o maior número de cadastros. Nessa região, ficam o Jardim Londres, Santa Lúcia e Jardim Itatinga. São quase 61 mil moradores cadastrados no programa.

O levantamento, feito pela secretaria de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, mostra ainda que em todas as regiões o número de cadastros têm tido aumento nos últimos anos.

Enquanto em 2019 eram 205,5 mil pessoas incluídas no Cadastro Único, em 2020 foram 220,3 mil, em 2021 foram 248,9 e, em maio deste ano,  258,1 mil.

Pelo CadÚnico é verificada a demanda de cada família, as necessidades, e são distribuídos benefícios de programas sociais. É desta forma que as famílias têm acesso a cesta básica, gás de cozinha e auxílio financeiro, por exemplo.

DADOS REGIONAIS

Veja a quantidade de pessoas inseridas no Cadastro Único por regiões:

Região Sul (bairros como Campo Belo, Jardim Icaraí, Jardim Bandeiras, Vila Mimosa e Jardim São Domingos) 

2019: 56.830 pessoas cadastradas

Maio/2022: 74.451 pessoas cadastradas

Aumento de 31% nos cadastros entre os anos

Região Sudoeste (bairros como Jardim Londres, Jardim Itatinga e Jardim Santa Lucia) 

2019: 52.727 pessoas cadastradas 

Maio/2022: 60.821 pessoas cadastradas 

Aumento de 15,3% nos cadastros entre os anos

Região Noroeste (bairros como Jardim Lisa, Jardim Santa Rosa e Jardim Florence)

2019: 47.227 pessoas cadastradas 

Maio/2022: 60.268 pessoas cadastradas 

Aumento de 27,6% nos cadastros entre os anos

Região Norte (bairros como Amarais, Bonfim, Jardim Chapadão e Jardim Guanabara) 

2019: 29.724 pessoas cadastradas 

Maio/2022: 38.037 pessoas cadastradas 

Aumento de 27,9% nos cadastros entre os anos

Região Leste (bairros como Recanto dos Dourados, Joaquim Egídio, Parque Xandrilá) 

2019: 19.049 pessoas cadastradas

Maio/2022: 24.546 pessoas cadastradas

Aumento de 28,8% nos cadastros entre os anos

AJUDA PARA SOBREVIVER

O aumento nos cadastros mostra o crescimento no número de famílias que contam com programas sociais para sobreviver.

Esse é o caso de Rosa Maria Ferreira Barreto, que está desempregada há três anos. Ela fez o Cadastro Único, mas só conseguiu receber o Auxílio Brasil no começo deste ano. Ela conta que o benefício é o que ajuda na casa.

'É difícil, mas com o pouco que tenho estamos nos virando. São duas filhas, dois netos e eu. Imagine um filho, um neto pedir uma coisa e não ter dinheiro pra comprar, um leite em pó, é barra pesada', relatou.

A situação é a mesma vivenciada pela manicure Maria Marcia Pereira Felix. Ela e o marido fazem bicos, mas nem sempre o sustento é garantido para o casal e os dois filhos.

'Eu faço bico de manicure, estou desempregada faz uns sete anos. Se não tivesse (o cadastro) seria complicado, o dinheiro ajuda', disse.

O CADASTRO E COMO PROCURAR AJUDA

Pelo CadÚnico é verificada a demanda de cada família. O cadastro é o principal instrumento do governo para a inclusão de famílias de baixa renda em programas federais, além de dar direito ao Auxílio Emergencial e ao Auxílio Brasil, entre outros benefícios.

O CadÚnico existe no Brasil desde julho de 2001. O número de pessoas cadastradas varia de acordo com a condição financeira. Conforme melhoram a renda, conseguem empregos, vão deixando de precisar dos benefícios com o passar do tempo.

O cadastramento de famílias pode ser feito nos Cras (Centros de Referência em Assistência Social), basta ligar no telefone 156 da prefeitura que o interessado será direcionado. (Com informações de EPTV Campinas).   


LEIA TAMBÉM 
 
Você sabe identificar o início de uma depressão?





Mais Notícias

Mais Notícias