Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

Cotidiano

Após Brumadinho, Pedreira quer impedir construção de barragem

Nesta segunda-feira (4), a população da cidade foi à primeira sessão da Câmara para apoiar impedimento de construção

| ACidadeON Campinas

Sessão da Câmara de Pedreira na noite de segunda-feira (4). (Foto: Jonathan Morel/EPTV) 

A tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais, aumentou a preocupação com a construção de uma barragem em Pedreira. Nesta segunda-feira (4), a população da cidade foi à primeira sessão da Câmara para apoiar uma indicação dos vereadores ao Executivo para que a construção seja impedida.

A proposta de embargo surgiu no Executivo, mas tem de ser formalizada pelo Legislativo. As obras da barragem de Pedreria deveriam ter começado neste ano, mas já estão atrasadas. Além dela, o governo estadual também quer construir uma barragem em Duas Pontes.

Na região, os reservatórios, um no rio Jaguari, nos municípios de Pedreira e Campinas, e outro no rio Camanducaia, em Amparo, serão construídos abaixo do Sistema Cantareira e criarão uma reserva hídrica estratégica na Bacia do PCJ (Piracicaba, Capivari e Jundiaí).

O reservatório de Pedreira ocupará uma área de 4,3 km2 nos municípios de Pedreira e Campinas, com capacidade para acumular 31,9 milhões de metros cúbicos de água, e disponibilizará uma vazão de 8,5 mil litros de água por segundo.

A construção das duas barragens representam investimento de R$ 550 milhões do governo do Estado. A obra é financiada pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) e será executada pelo Consórcio OAS/Cetenco. Segundo o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), autarquia vinculada à Secretaria Estadual de Saneamento e Recursos Hídricos.  

REQUERIMENTO

Além do pedido de embargo, o Legislativo de Pedreira também informou que enviará um requerimento de informações aos órgãos responsáveis pedindo informações sobre quais são os planos de emergência caso ocorra algum rompimento da barragem e o que pode ser feito anteriormente para evitar um acidente como o de Brumadinho.  



OUTRO LADO

Em nota oficial, O DAEE informou que "atendeu a todos os requisitos legais necessários para a construção da Barragem de Pedreira, incluindo Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental EIA/RIMA, que foram apresentados ao município em Audiência Pública realizada dia 16 de outubro de 2015, permitindo aos interessados apresentar questionamentos, dúvidas e contribuições que julgassem necessário. Cumprido todas as condicionantes, a ANA (Agência Nacional das Águas) emitiu em 2018 a outorga necessária para as obras e a CETESB em 2019 a licença para início das obras".

Além disso, o Departamento diz que existe, do ponto de vista técnico, uma diferença muito grande entre as Barragens de Acumulação de Água e as Barragens de Rejeitos de Mineração. Em resumo, diz o Daee, a tecnologia de projeto e construção da barragem é extremamente segura e é utilizada no Brasil e no mundo desde o início do século passado.

O órgão diz também que a obra em Pedreira será "executada com todo rigor técnico, desde à elaboração do projeto, controle de construção e instrumentos de monitoramento".  

(Com reportagem de Jonathan Morel, da EPTV Campinas)

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON