Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

Cotidiano

Hospital Mário Gatti tem dia de caos nesta segunda-feira

Pacientes relataram a espera de oito horas para serem atendidos, além da falta de cadeiras para sentar durante este tempo

| ACidadeON Campinas

Havia muita gente em pé, pois falta cadeira para todos no sala da espera (Foto: Natália Ramos Brocchi) 

O Hospital Municipal Doutor Mário Gatti, em Campinas, está com lotação acima do normal nesta segunda-feira (18). Pacientes estão aguardando há cerca de sete horas sem passar por atendimento e sem previsão de quando ocorre.

Na semana passada, o ACidade ON Campinas mostrou que a diretoria do Mário Gatti mudou para uma nova sede, na qual foram gastos R$ 830,5 mil em reforma (leia mais aqui).

Além disso, na sexta-feira (15) havia falta de remédios. Alguns, inclusive, eram usados para pacientes da oncologia. Oficialmente, a Rede Mário Gatti negou a falta de medicamentos (leia mais aqui).

As imagens mostram dezenas de pessoas à espera de atendimento. Além disso, havia muita gente em pé, pois falta cadeira para todos no sala da espera.

Natália Ramos Brocchi, de 29 anos, estava nesta segunda-feira em sua segunda passagem no hospital. Na sexta-feira à noite ela esteve no local e esperou nove horas pelo atendimento. Com dores fortes no pescoço e nos braços, ela recebeu medicamento, mas não houve efeito e precisou retornar.

"Temos relatos de pessoas que tiveram suas fichas perdidas, gente com dor e que não são atendidas. Tem um monte de gente em pé e estão sem atendimento. A desculpa que dão é que o (Hospital) Ouro Verde está sem atendimento e vem todo mundo para cá", contou.

OUTRO LADO

A Rede Mário Gatti de Urgência e Emergência Hospitalar informou que as escalas de médicos do Hospital Mário Gatti estão completas. Por ser uma instituição reconhecida pelo atendimento e estar na região central, a unidade é muito procurada pela população. Além disso, a demanda de casos mais graves nesta segunda-feira (18) está acima da média e, por isso, mais um médico foi deslocado para atender o Pronto-Socorro nesta tarde.

O hospital trabalha em regime porta aberta e atende todos os pacientes que procuram o serviço. Em relação ao tempo de atendimento, a Rede Mário Gatti esclarece que todos os pacientes que procuram os hospitais passam por triagem e classificação de risco. As urgências e emergências são prioridade. Por esse motivo, os pacientes classificados como casos de menor complexidade aguardam mais tempo por atendimento.

Mais do ACidade ON