Aguarde...

Cotidiano

Justiça impõe medidas contra GMs suspeitos de tortura

São cinco medidas cautelares contra GMs; uma delas impede o contato deles com outros guardas e testemunhas

| ACidadeON Campinas

Caso envolveu policiais de Indaiatuba e Campinas (Foto: Denny Cesare/Código19)  
O TJ (Tribunal de Justiça) de Indaiatuba determinou cinco medidas cautelares ao grupo de GMs (Guardas Municipais) da cidade que são suspeitos de tortura e abuso de autoridade. A decisão é de 1ª instância e cabe recurso.

Os homens são suspeitos de tortura e abuso de autoridade. No dia 25 de maio, dos quatro mandados de prisão, um resultou em prisão. Outros dois guardas se apresentaram à Polícia Civil espontaneamente. Já o quarto GM se apresentou dois dias depois da deflagração da operação. 

De acordo com a decisão da Justiça, da 1ª Vara Criminal de Indaiatuba, os presos deverão comparecer mensalmente em juízo para justificativa de suas atividades; estão proibidos de manter contato com as testemunhas e membros da GM, além das vítimas e familiares deles; estão também proibidos de ausentar-se da cidade sem autorização judicial e estão suspensos do exercício da função pública.

Além disso, os denunciados têm o prazo de 15 dias - a partir desta sexta-feira (3) - para dar resposta à denúncia do MP (Ministério Público).  
 


O CASO

Durante as diligências, os investigadores encontraram R$ 23 mil na casa de um dos suspeitos e a origem deste dinheiro será investigada, segundo informou a Polícia Civil. Também foram apreendidos entorpecentes em um armário de um GM, localizado na sede da Guarda Municipal, alvo de mandado de busca e apreensão.

A Secretaria de Segurança Pública de Indaiatuba informou que "não foi notificada e assim que receber a ação tomará todas as medidas legais"'.

Mais do ACidade ON