Aguarde...

ACidadeON

Voltar

Cotidiano

Sindicância promove varredura em prontuários do HC

Objetivo é identificar se o falso médico preso na terça-feira de fato realizou algum atendimento

| ACidadeON

Código 19
Falso médico tinha 19 anos e enganou hospital por duas semanas. Foto: Código 19

A sindicância aberta pelo HC da Unicamp, em Campinas, para apurar as responsabilidades sobre a atuação de um falso médico no hospital realiza nesta quarta-feira (8) uma varredura em prontuários, receitas e relatórios de atendimento para identificar se o jovem preso de fato realizou algum atendimento.

Vitor Sabino Nunes, 19 anos, atuou por duas semanas como médico da unidade. Ele estudou fisioterapia em uma universidade particular da cidade, mas não chegou a concluir o curso.

A polícia apreendeu a receita de uma pomada anti-inflamatória receitada por Vitor, mas, segundo a assessoria do hospital, ela teria sido entregue para um parente de um funcionário do HC - que, inclusive, desconfiou do jovem e ajudou a denunciá-lo.

Até o início da tarde desta quarta, a sindicância havia analisado os registros do hospital dos últimos dez dias e não encontrou nenhum documento assinado por Vitor. O trabalho seguirá durante a tarde, quando serão feitas reuniões com os setores de segurança e tecnologia do HC.

O CASO

O jovem atuou duas semanas usando um carimbo de outro profissional. Ele foi descoberto por médicos que atuam no hospital que desconfiaram e chamaram a Polícia Militar. Quando foi abordado, ele preferiu usar o silêncio.

Ele usava vestimentas tradicionais de um médico, como jaleco e acessórios, além de  um carimbo que utilizava no receituário. O receituário era de outro médico que também tinha o nome de Vitor. O farsante, inclusive, tinha um crachá temporário da unidade, que estava desativado.

Os policiais foram até o alojamento dos médicos e lá detiveram Vítor, que estava com uniforme do Centro Cirúrgico.

Mais do ACidade ON