Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Vídeo de alunas de medicina da Unicamp expõe machismo no campus

Vídeo foi produzido pelo coletivo Muda com frases machistas ouvidas pelas estudantes

| ACidadeON/Campinas

Frame do vídeo feito pelo Coletivo Muda, da Unicamp. (Foto: Reprodução/Facebook) 

Um grupo de estudantes mulheres que cursam medicina na Unicamp, do 1º ao 6º ano, resolveu reunir todas as frases desrespeitosas e machistas que ouviram durante os anos de estudo para mostrar o sexismo na área. As frases são mostradas em um vídeo de 3:15 que viralizou no Facebook no final de fevereiro.

O vídeo foi feito pelo coletivo feminista Muda, criado na Unicamp em 2016. Entre as frases escutadas pelas estudantes, estão: "você é bonita demais para fazer medicina" e "o paciente tem direito de passar a mão se estiver com roupa curta". Todas as frases foram ouvidas por elas dentro da sala de aula ou no Hospital de Clínicas (HC), da Unicamp.

Segundo o coletivo, a maioria das frases foi dita por homens, mas também há comentários que foram feitos por mulheres.

INSPIRAÇÃO

O vídeo foi inspirado em um outro vídeo que expunha o machismo na USP, produzido por estudantes de engenharia da universidade. Em em abril do ano passado, elas fizeram uma releitura do clipe "Survivor", da Clarice Falcão, e também mostrava frases ouvidas pelas estudantes, dizendo, por exemplo, que elas "iriam desistir" do curso por serem mulheres. No Facebook, o vídeo até a publicação desta matéria estava com 333 mil visualizações e 4,3 mil compartilhamentos.

OUTRO LADO

Em nota oficial, a Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp disse que "é favorável à pluralidade e à ampla manifestação de ideias, sempre tendo em vista os princípios éticos de respeito ao patrimônio público e à liberdade de expressão".

Além disso, a faculdade informou que mantém canais abertos de comunicação com a comunidade interna e externa e que "é uma das poucas faculdades que mantém o curso de ética do primeiro ao sexto ano da graduação em Medicina".

A FCM disse ainda que também mantém o Grapeme que visa auxiliar os alunos durante as diferentes etapas da graduação e a Comissão de Apoio ao Estudante (CAE), "com o objetivo de detectar as dificuldades enfrentadas pelos estudantes no dia-a-dia que e envolvem situações de violência, bullying ou assédio moral".



Mais do ACidade ON