Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Vídeo de alunas de medicina da Unicamp expõe machismo no campus

Vídeo foi produzido pelo coletivo Muda com frases machistas ouvidas pelas estudantes

| ACidadeON/Campinas

Frame do vídeo feito pelo Coletivo Muda, da Unicamp. (Foto: Reprodução/Facebook) 

Um grupo de estudantes mulheres que cursam medicina na Unicamp, do 1º ao 6º ano, resolveu reunir todas as frases desrespeitosas e machistas que ouviram durante os anos de estudo para mostrar o sexismo na área. As frases são mostradas em um vídeo de 3:15 que viralizou no Facebook no final de fevereiro.

O vídeo foi feito pelo coletivo feminista Muda, criado na Unicamp em 2016. Entre as frases escutadas pelas estudantes, estão: "você é bonita demais para fazer medicina" e "o paciente tem direito de passar a mão se estiver com roupa curta". Todas as frases foram ouvidas por elas dentro da sala de aula ou no Hospital de Clínicas (HC), da Unicamp.

Segundo o coletivo, a maioria das frases foi dita por homens, mas também há comentários que foram feitos por mulheres.

INSPIRAÇÃO

O vídeo foi inspirado em um outro vídeo que expunha o machismo na USP, produzido por estudantes de engenharia da universidade. Em em abril do ano passado, elas fizeram uma releitura do clipe "Survivor", da Clarice Falcão, e também mostrava frases ouvidas pelas estudantes, dizendo, por exemplo, que elas "iriam desistir" do curso por serem mulheres. No Facebook, o vídeo até a publicação desta matéria estava com 333 mil visualizações e 4,3 mil compartilhamentos.

OUTRO LADO

Em nota oficial, a Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp disse que "é favorável à pluralidade e à ampla manifestação de ideias, sempre tendo em vista os princípios éticos de respeito ao patrimônio público e à liberdade de expressão".

Além disso, a faculdade informou que mantém canais abertos de comunicação com a comunidade interna e externa e que "é uma das poucas faculdades que mantém o curso de ética do primeiro ao sexto ano da graduação em Medicina".

A FCM disse ainda que também mantém o Grapeme que visa auxiliar os alunos durante as diferentes etapas da graduação e a Comissão de Apoio ao Estudante (CAE), "com o objetivo de detectar as dificuldades enfrentadas pelos estudantes no dia-a-dia que e envolvem situações de violência, bullying ou assédio moral".



Mais do ACidade ON