Unicamp: mulheres do Imecc organizam canal de denúncias contra assédio

Assediador de 27 anos foi detido na terça-feira e reconhecido por três vítimas

    • ACidadeON/Campinas
    • Sarah Brito

Unicamp, em Campinas. (Foto: Luciano Claudino/Código19) 

Depois da detenção de um estudante de 27 anos do Imecc (Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica) da Unicamp, em Campinas, por suspeita de abuso sexual, as estudantes, funcionárias e docentes do instituto se uniram para discutir o tema e elaborar um canal para o encaminhamento de denúncias de abuso.

No Facebook, elas marcaram uma reunião no Imecc no dia 21 de maio para levantar os casos de assédio e alertar outras mulheres que estudam no instituto sobre o caso. Até o momento, a Polícia Civil ainda não começou a fase de depoimentos e a Unicamp também não tomou novo posicionamento, afastando ou expulsando o estudante.  

Leia mais: Assédio: após denúncia de falha de segurança, Unicamp defende ações

Grupo feminista aponta cinco falhas da Unicamp para evitar casos de assédio

Unicamp investigará aluno suspeito de assédio sexual no campus

Estudante da Unicamp é detido acusado de se masturbar na frente de alunas


De acordo uma das organizadoras, o objetivo da reunião é construir um grupo de mulheres para discutir os problemas que enfrentam, além de ser um canal para receber e dar encaminhamento às denúncias de assédio.

"Queremos que as meninas levem relatos de assédios, e outros abusos, a instâncias mais altas. Também vamos discutir a permanência das mulheres no curso, que é predominantemente masculino", disse ela. A participação de homens será vetada nesse primeiro momento na reunião.

A justificativa é que as mulheres devem se sentir confortáveis no ambiente para poder falar abertamente sobre os assédios que passaram. Para saber mais sobre o encontro, o grupo criou um evento no Facebook.

O CASO

Na madrugada de terça-feira (15), o homem de 27 anos foi levado pela Polícia Militar na madrugada até o 4º Distrito Policial, no Taquaral, onde foi reconhecido por três vítimas, que também são alunas da universidade.

Segundo o depoimento das vítimas, ele costumava circular com um Fiesta preto pelas ruas da Unicamp e pedia informações as estudantes. Quando elas se aproximavam, percebiam que ele estava se masturbando. O estudante de 27 anos não teve a identidade revelada pela polícia.


0 Comentário(s)