ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Faturamento do e-commerce na região é o segundo maior do Estado

No primeiro trimestre de 2018, o comércio eletrônico na região de Campinas atingiu faturamento real de R$ 354,3 mi

| ACidadeON/Campinas

Comércio eletrônico tem alta na região. (Foto: Divulgação)

No primeiro trimestre de 2018, o comércio eletrônico na região de Campinas atingiu faturamento real de R$ 354,3 milhões, o segundo maior do Estado, uma alta de 7,9% na comparação com o mesmo período do ano passado. No acumulado de 12 meses, o crescimento foi de 14,9%. A pesquisa traz dados sobre faturamento real, número de pedidos e tíquete médio e permite mensurar a participação do e-commerce nas vendas totais do varejo (eletrônico e físico).  

A pesquisa aponta também que o número de pedido do comércio eletrônico na região atingiu 898,5 mil nesse primeiro trimestre, ante os 783,4 mil do mesmo período de 2017, um aumento de 14,7%.  

O tíquete médio, por sua vez, caiu 5,9%, ao passar de R$ 419,12 nos três primeiros meses de 2017 para os atuais R$ 394,35. A participação do e-commerce no faturamento do varejo geral teve leve queda de 0,1 ponto porcentual (p.p.), ao passar de 2,6% para 2,5%.  
 
Os resultados compõem a Pesquisa Conjuntural do Comércio Eletrônico (PCCE) elaborada pelo SindiVarejista e pela FecomercioSP, em parceria com a Ebit empresa referência em informação sobre o comércio eletrônico.

"O e-commerce retomou de forma mais robusta o crescimento no começo deste ano se comparado a outros segmentos da economia. Esse crescimento se deve à melhora nas condições macroeconômicas, mas também à mudança de comportamento do consumidor, usando celulares para comparar, consultar e comprar produtos duráveis, semiduráveis e não duráveis no comércio eletrônico", afirmou a presidente do SindiVarejista, Sanae Murayama Saito.

BENS DE CONSUMO

No primeiro trimestre de 2018, os bens duráveis tiveram grande peso no faturamento do setor, concentrando 69,6% das receitas e 38,4% do número de pedidos, com um tíquete médio de R$ 689,16. O comércio de bens semiduráveis representa 18,6% das vendas, 35,8% do total de pedidos com um valor médio de R$ 197,59, enquanto os não duráveis têm uma parcela de 11,8% do faturamento, 25,8% dos pedidos e um tíquete médio de R$ 174,28.

NO ESTADO

As vendas do comércio eletrônico no Estado de São Paulo cresceram 4,4% no primeiro trimestre de 2018, se comparado ao mesmo período de 2017, atingindo R$ 4,06 bilhões. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o faturamento real avançou 8,8% em janeiro, recuou 1,9% em fevereiro e voltou a crescer 5,4% em março. No acumulado dos últimos 12 meses, após encerrar 2017 com uma alta de 4,2%, a taxa de crescimento real das vendas do setor subiu para 5,1% no primeiro trimestre de 2018.

Veja também