Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Torcedor acusa PM de agressão em entrada de estádio

Ele ficou com diversos ferimentos pelo corpo e rosto

| ACidadeON/Campinas

Rodrigo ficou com diversos ferimentos pelo corpo. (Foto: Reprodução EPTV)

Um torcedor do Guarani acusou policiais militares de agressão, na entrada do Brinco de Ouro, na tarde de ontem (9), por volta das 18h, antes da partida entre Guarani e Coritiba, pela Série B do Campeonato Brasileiro. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial, no Botafogo, como Lesão Corporal e Resistência e será investigado pela Polícia Civil.  

O vendedor Rodrigo Carvalho Avelar chegou a ser levado na delegacia para prestar depoimento. Ele ficou com diversos ferimentos pelo corpo e rosto. Segundo ele, os machucados foram provocados por policiais militares que controlavam o acesso dos torcedores ao estádio. A PM informou no registro do B.O. que Rodrigo estava embriagado e que foi necessária o uso de força moderada para detê-lo.  

"Estava com minha esposa, meu cunhado e minha filha e mais um casal de amigos. Estávamos entrando no campo, só que eu estava com uma latinha de cerveja na fila. O policial me disse que não podia entrar no estádio com bebida. Eu respondi ao policial que iria terminar de beber. Um outro policial, que estava na catraca ao lado, falou para eu jogar fora. Respondi, apontando para o outro policial, que era ele que estava falando comigo. Com isso ele já veio me batendo", afirmou.   

Rodrigo ficou com diversos ferimentos pelo corpo. (Foto: Reprodução EPTV)
Os parentes do vendedor fizeram imagens de um grupo de policiais em volta do vendedor que ficou caído. Ele conta que depois foi levado para dentro do estádio onde as agressões continuaram.

"Me algemaram e me levaram para dentro do estádio, em uma sala dentro do Guarani, e bateram sem dó em mim. Apanhei uma meia hora. Me espancaram com cassetete e com chutes. Depois foi um médico e deu ponto em minha sobrancelha, fez uma tala em meu braço e depois me levaram para a delegacia", afirmou.  

O caso foi registrado no 1º Distrito Policial como Lesão Corporal e Resistência. No B.O. consta a versão da polícia sobre o ocorrido.  

Rodrigo ficou com diversos ferimentos pelo corpo. (Foto: Reprodução EPTV)

No documento o soldado disse que o vendedor tentou entrar no estádio portanto uma lata de cerveja e que foi orientado sobre a proibição. Ainda segundo a PM, o vendedor estava visivelmente embriagado e bastante alterado. No boletim os policiais ainda falaram que ele tentou forçar a entrada e como foi barrado, foi necessário o uso de força moderada com cassetete e algemas para conter o torcedor.  

Depois de prestar depoimento na delegacia, Rodrigo foi levado por familiares para o Hospital Mário Gatti. O torcedor nega que tenha resistido as ordens dos policiais e hoje vai passar por exames de corpo de delito.

A PM disse que o soldado foi agredido primeiro pelo torcedor que estava bastante alterado e que um dos PMs teve o dedo trincado. A Polícia Civil vai investigar o caso.

Veja também