Aguarde...

cotidiano

Filho de dono do Correio Popular se entrega à Justiça

Gustavo era o último foragido e responsável pelos exames de radiologia do Hospital Ouro Verde; O MP informou que ele superfaturava o valor dos exames

| ACidadeON Campinas

Gustavo Khattar Godoy chefiava serviço de radiologia no Ouro Verde 

O empresário e médico Gustavo Khattar de Godoy, filho de Sylvino de Godoy Neto, dono do jornal Correio Popular, se entregou na manhã desta segunda-feira (26), no 2º DP (Distrito Policial), em Campinas. Ele é suspeito de desvios de recursos públicos do Hospital Ouro Verde.  
 
LEIA MAIS 
Ouro Verde: operação já prendeu 15 em um ano; entenda o esquema


Gustavo Khattar de Godoy teve a prisão temporária decretada na última quinta-feira, quando a terceira fase da Operação Ouro Verde foi deflagrada, mas estava viajando no dia e depois começou a negociar sua entrega.

Seu advogado, Ralph Tórtima Filho, disse que ele está "à disposição" e apenas aguardando definição de "dia e horário" para poder se apresentar ao Ministério Público. O órgão disse que não iria agendar a entrega.

"Como não obtivemos resposta do Gaeco relativamente ao agendamento da apresentação do Gustavo Khattar de Godoy, hoje cedo ele se apresentou espontaneamente", afirmou o advogado.

Gustavo era o responsável pelos exames de radiologia do Hospital Ouro Verde. De acordo com a investigação da Promotoria, ele assumiu o serviço de imagem do hospital, "quarteirizou" o trabalho e superfaturava os exames.

Uma mamografia, por exemplo, custava R$ 13,50. No entanto, a empresa recebia da Prefeitura de Campinas a quantia de R$ 25. A diferença, segundo as investigações, era dividida entre Gustavo (50%) e diretores da Vitale.

PRESOS


Durante a operação em Campinas, Jundiaí, São Paulo e Serra Negra foram presos: Thiago Neves, diretor da Vitale, que administrava o Hospital Ouro Verde; João Carlos da Silva Júnior, lobista; Danilo Silveira, dono de laboratório de análises clínicas; Felipe Brás, empresário da empresa de higienização de material hospitalar Grennlav; Alcir Fernandes Pereira, contador da Vitale e Silvio Bernardin, ex-secretário de Assuntos Jurídicos de Campinas.  
 
O empresário Sylvino de Godoy Neto também foi preso, mas passou mal e foi levado ao hospital PUC-Campinas. Ele teve uma síndrome coronária aguda e segue internado. Seu estado é estável.  
 
Sylvino também ordenou um levantamento sobre a vida dos vereadores Pedro Tourinho (PT), Tenente Santini e Marcelo Silva, ambos do PSD. Nos dois áudios, o diretor pede a funcionários do jornal Correio Popular, editado pela RAC, que investiguem a vida política e criminal dos parlamentares de oposição

OPERAÇÃO

A operação, que foi batizada de "Reação", investiga desvios de recursos públicos do Hospital Ouro Verde em Campinas. Nesta etapa, apurou-se o desvio de mais de R$ 2 milhões de recursos públicos, em esquema criminoso que envolveu o direcionamento de contratação de fornecedores com preços superfaturados e a entrega de vantagens indevidas a agentes públicos.

Esses valores se somam às quantias apuradas na 1ª e 2ª fases da Operação Ouro Verde, ocorridas em novembro do ano passado e em março deste ano, totalizando a apuração, até então, de cerca de R$ 7 milhões desviados durante a de gestão da Organização Social Vitale no hospital.  



Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON