Aguarde...

cotidiano

Jonas exonera secretários para tentar barrar criação de Comissão Processante

André Von Zuben (PPS) e Luís Yabiku (PSB) eram secretários da prefeitura e voltam hoje para a votação da CP contra Jonas Donizette (PSB)

| ACidadeON Campinas

André Von Zuben (PPS) e Luís Yabiku (PSB) eram secretários e voltam para a votação da CP contra Jonas Donizette (Foto: Divulgação) 

O Prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), exonerou, em publicação no Diário Oficial desta segunda-feira (26), André Von Zuben, secretário de Desenvolvimento Econômico, Social e Turismo, além de Luís Yabiku, secretário de Trabalho e Renda, que voltam a ser vereadores.

Hoje os parlamentares vão votar o pedido de abertura de CP (Comissão Processante) na Câmara contra o prefeito após a deflagração da terceira fase da Operação Ouro Verde. O vereador Marcelo Silva (PSD) é o autor da proposta.

Se o recebimento for rejeitado, a Comissão não é criada. Se, contudo, for aceito, serão sorteados três vereadores entre os desimpedidos para compor a Comissão e eles elegerão o presidente e o relator.  
 
Parte dos vereadores da base do prefeito Jonas Donizette (PSB), de Campinas, descartaram a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar os desvios. Eles informaram que vão priorizar a CP.

Claúdio Quércia assume a Desenvolvimento Econômico, Social e Turismo, enquanto Luciana Regina dos Santos ficará responsável por Trabalho e Renda.

BASE

Von Zuben e Yabiku, do PPS e PSB respectivamente, foram eleitos vereadores na última legislatura, e cederam a vagas aos suplentes Paulo Haddad (PPS) e Jota Silva (PSB) para assumirem como secretários da administração de Jonas.

A assessoria de imprensa da Câmara informou que, como os dois são os titulares não há necessidade de cerimônia para tomarem posse.

TROCAS

O suplente Angelo Diniz, o Chinês (PSD), assumirá nesta segunda-feira a cadeira do vereador Marcelo Silva, do mesmo partido, para a votação que decidirá se a Câmara aceitará ou não o pedido de instalação de CP.

A mudança ocorrerá porque a lei que rege os procedimentos para instauração de CP o decreto-lei 201/1967 estabelece que, quando a denúncia de suposta infração é feita por um vereador, este "ficará impedido de votar a denúncia e de integrar Comissão Processante".

Desta forma, Marcelo Silva irá participar do início da reunião ordinária. O presidente da Câmara Rafa Zimbaldi (PSB) chamará para tomar posse o suplente. Feita a posse, o presidente determinará a leitura da denúncia e então consultará o Plenário, que deverá definir por voto, se aceitará ou não a peça.

Para que isso ocorra, será necessário que a maioria dos vereadores presentes vote a favor do recebimento. Ou seja, caso todos os 32 vereadores estejam presentes (uma vez que o presidente não vota), serão necessários 17 votos. Caso haja 20 vereadores, será preciso 11 votos e assim por diante.

PREFEITURA


O secretário de Comunicação da Prefeitura de Campinas, Guilherme Fabrini, informou que a posição oficial da Administração é a publicada no Diário Oficial de hoje. A reportagem do ACidade ON tentou contato com os dois exonerados, porém, não houve retorno.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON