Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Grupo ecumênico faz ato em solidariedade a Brumadinho

Evento contou com a apresentação de grupos musicais e a palavra de diversos dos 17 grupos religiosos que compõem a iniciativa

| ACidadeON Campinas

Grupo ecumênico realiza ato em solidariedade a Brumadinho (Foto: Renan Lopes/ACidade ON Campinas)

O grupo ecumênico URI (Iniciativa das Religiões Unidas) fez, na manhã deste sábado (9), um ato em solidariedade as vítima da tragédia de Brumadinho, Minas Gerais, no Largo do Rosário, região central de Campinas. A ação contou com a apresentação de grupos musicais e de orações de 17 grupos religiosos que compõem a iniciativa.

O ato contou com diversos grupos religiosos, como os anglicanos, budistas, católicos, hinduístas, tribos indígenas, muçulmanos, umbandistas e outros. "Nós temas diferenças, mas demonstramos mais coisas em comum do que essas diferenças", disse Mostafa Bartar, membro da URI e organizador do evento. "Estamos aqui para mostrar nossa solidariedade e nossa decepção por tudo o que causou o desastre", explicou.

"Não podíamos nos omitir em relação ao desastre e usamos o mesmo tempo para mostrar o que temos de melhor, que é a nossa fé", disse Eduardo José Pereira Coelho, membro da iniciativa e ex-secretário de educação de Campinas.   
 
A tragédia provocada pelo rompimento de uma barragem da Vale em Brumadinho até ontem tinha somado 157 mortos e 182 desaparecidos, segundo o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. Três funcionários da Vale e dois engenheiros da Tüv Süd chegaram a ser presos, mas tiveram a soltura ordenada pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).


Para a assistente social, Izalene Tiene, o grupos como a URI são cada vez mais necessários nos dias de hoje. "Somos todos um só e precisamos defender a vida", disse. "Vim manifestar solidariedade não só com a população de Mariana, mas com todos os povos que vem sendo massacrados no Brasil e no mundo. Estar aqui é uma forma de prestar solidariedade", explicou.

Para ela, no entanto, estar ali não é apenas prestar solidariedade, mas também é uma maneira de expor a indignação com o desastre que deveria ter sido evitado, de acordo com ela. "Nós defendemos a vida, e uma vida com qualidade. É por isso que eu estou aqui".

BRUMADINHO

Em 25 de janeiro, a barragem da mina Córrego do Feijão, da Mineradora Vale, rompeu sobre a cidade de Brumadinho, em Minas Gerais. Hoje é 16ª de buscas.
 

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook